Patrícia Gerardo venceu segunda edição do Hell’s Kitchen Portugal

0
2505

Tal como já tinha sido avançado pelo Pombal Jornal em Janeiro, Patrícia Gerardo foi a vencedora da segunda edição do Hell’s Kitchen Portugal, cujo programa terminou ontem à noite.

A concorrente é da Benedita, mas reside em Pombal onde gere o restaurante Sazonal. A ‘chef’ Patrícia Gerardo tem apenas 28 anos e um currículo internacional com influências que vão desde a cozinha molecular do chef José Avillez ao vasto mundo dos sabores internacionais. A sua inspiração estende-se ainda ao chef Ljubomir Stanisic ou não fosse ela uma das participantes da segunda edição do Hell’s Kitchen Portugal. O resultado destas combinações pode ser degustado de sexta-feira a domingo à mesa do seu restaurante. Durante a semana, dedica-se aos pratos tradicionais.

Patrícia Gerardo chegou a Pombal há menos de um ano e meio. Recém-chegada da Bélgica, onde trabalhou durante oito anos no restaurante de um hotel, a chef de cozinha sabia bem o que queria: encontrar um sítio para abrir o seu próprio restaurante. E Pombal era o local ideal. Afinal, “é uma cidade, mas não é uma grande cidade e, portanto, o mercado não está tão saturado”, explica.

No início de 2021, o sonho começou a ganhar forma e tornou-se realidade em Maio, quando abriu as portas do restaurante que gere juntamente com o companheiro Jeremy Gameiro, ele sim pombalense. Desde então, Patrícia passa muito do seu tempo na cozinha do Sazonal, seja a cozinhar ou nos preparativos das refeições.

Durante a semana, o restaurante aposta nas diárias com pratos mais tradicionais. Mas é ao fim-de-semana que Patrícia coloca em prática todos os conhecimentos, técnicas e sabores que trouxe da sua formação e do contacto com outros chefs de cozinha.

De entre os vastos sabores do mundo, a cozinha asiática é a que mais a fascina, devido à variedade de aromas, temperos e sabores. E essa inspiração está bem patente na lista de iguarias disponíveis ‘a la carte’ entre o jantar de sexta-feira e de domingo do restaurante Sazonal, onde é possível degustar “pratos diferenciados, como caril de peixe, coxinhas de frango ao estilo coreano, entre outros”.

Mas a ementa não é estática. Tal como o nome do restaurante indica, “o nosso menu é sazonal, tanto que já mudou cinco vezes em sete meses”. “Tentamos adaptar a ementa à estação do ano, incluindo os ingredientes da época”, referiu Patrícia Gerardo, dando conta de que também o logotipo aponta para essa sazonalidade: “uma árvore com folhas verdes, amarelas e castanhas, que representam as várias estações do ano”.

 

DAS ARTES À COZINHA

 

Patrícia Gerardo entrou no mundo dos tachos e panelas muito cedo, começando a cozinhar em casa para a família. Apaixonada também pelas artes, ainda ponderou seguir esta área. Mas o gosto pela cozinha falou mais alto. Por isso, optou por frequentar um curso de cozinha na Escola Profissional de Leiria, o qual concluiu com um estágio no Restaurante Belcanto, do chef José Avillez. Depois ingressou na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, onde teve a oportunidade de estagiar na Bélgica. Terminado o estágio, foi convidada para ficar a trabalhar na cozinha do hotel, onde colaborou durante oito anos, contactou com chefs de todo o mundo e aprendeu novas técnicas e sabores da cozinha internacional, tendo evoluído até à categoria de subchefe.

Em 2020, a pandemia provocada pela Covid-19 deu-lhe um empurrão para regressar a Portugal e aventurar-se na criação do seu próprio negócio.

Entretanto lançou-se noutro desafio: a participação no Hell’s Kitchen Portugal. Estreou-se no programa com um prato de lombo de borrego com risotto de cogumelos e peixinhos da horta, o qual mereceu cinco pontos do chef Ljubomir Stanisic. Passadas duas semanas do início da transmissão do programa continua a dar provas dos seus dotes culinários. Os mesmos dotes que podem ser degustados todos os dias, excepto às terças e quartas-feiras, no restaurante Sazonal.