Misericórdia da Redinha vai construir complexo social e criar valência de lar

0
1202

A Misericórdia da Redinha vai construir o Complexo Social Nossa Senhora da Soledade, que vai albergar as actuais valências de centro de dia e apoio domiciliário, permitindo também criar uma estrutura residencial para idosos. O projecto de arquitectura do novo equipamento já foi aprovado.


A freguesia da Redinha vai ter finalmente valência de lar. A Santa Casa da Misericórdia da Redinha vai construir o Complexo Social Nossa Senhora da Soledade para albergar num único edifício todas as respostas sociais da instituição, as quais serão complementadas com a criação de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI). O projecto de arquitectura do novo equipamento foi aprovado na última reunião da Câmara Municipal de Pombal, realizada a 17 de Fevereiro.
O Complexo Social Nossa Senhora da Soledade, que vai “nascer” no cruzamento da Rua de Pombal com a rua Principal, na freguesia da Redinha, é um “projecto tão almejado pela Irmandade, mas acima de tudo pela comunidade”, disse ao Pombal Jornal o provedor da Santa Casa da Misericórdia.
O projecto, que ainda está a “aguardar pelo alvará de construção”, prevê a edificação de um novo equipamento que vai albergar as respostas sociais de lar, centro de dia e serviço de apoio domiciliário.
O objectivo é transferir para o novo edifício as actuais valências da instituição, que dispõe de um centro de dia com capacidade para 25 utentes e o serviço de apoio domiciliário para 28 idosos. Esta capacidade será reforçada com cinco e 14 novos lugares para cada resposta social, respectivamente, mas também com a criação de uma ERPI com a lotação de 40 camas.

PANDEMIA AGRAVOU CONDIÇÕES DO ACTUAL EDIFÍCIO DA MISERICÓRDIA
“Este investimento viabiliza a continuidade da prestação de serviços às pessoas idosas da freguesia da Redinha”, realçou Mário Sacramento, salientando que “as infra-estruturas em que nos encontramos actualmente, em regime de comodato, já não reúnem condições para o desenvolvimento das respostas sociais de centro de dia e serviço de apoio domiciliário, situação que a pandemia Covid-19 agravou”.
Neste sentido, “urge” construir um novo edifício que “assegure um bom funcionamento e as devidas condições de segurança aos utentes apoiados pela Santa Casa da Misericórdia da Redinha”. “Já não se trata de edificar um equipamento inovador, situação que obviamente é também o nosso objectivo, mas sim assegurar condições mínimas às pessoas que nos escolhem para os apoiar no processo de envelhecimento”, justificou.
O valor do investimento necessário para a edificação do Complexo Social Nossa Senhora da Soledade “ainda é incerto”, adiantou o provedor. “No entanto, é certo que o mesmo não será possível só com fundos próprios”, pelo que a instituição vai apresentar uma candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência, no âmbito do programa para requalificação e alargamento da rede de equipamentos e respostas sociais.
Além disso, a Misericórdia da Redinha conta igualmente com um apoio financeiro da Câmara Municipal de Pombal, cujo pedido “já foi solicitado, ainda que se desconheça dados sobre o seu deferimento”.
Todavia, aquando da apresentação do projecto PROXIM(IDADE), o presidente da autarquia, destacou a “importância” deste investimento, uma vez que “a freguesia da Redinha é a única no nosso concelho que não tem um lar de idosos”.
Na altura, Pedro Pimpão manifestou ainda a “disponibilidade da Câmara Municipal” para apoiar este projecto, como tem comparticipado outros no concelho, dos quais são exemplos a Residência Sénior Senhora do Cardal e a ERPI do Lar da Felicidade nas Meirinhas, ambos financiados pelo município em 500 mil euros.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 03 de Março de 2022