Misericórdia edita investigação sobre passado da Instituição

0
1340

A Santa Casa da Misericórdia de Pombal apresenta amanhã, sábado, um livro sobre o que foi a Instituição entre 1628 e 1910. Uma obra que, segundo o provedor da misericórdia, resulta de um “trabalho de grande profundidade” de autoria do pombalense Ricardo Jorge Pessa de Oliveira, doutorado em História Moderna pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Joaquim Guardado explica que o período investigado remonta a 1628, ano a que corresponde o documento mais antigo conhecido com referência à Misericórdia de Pombal, e 1910, por ter sido o ano da implantação da República.

O provedor garante que a obra traz à luz alguns pormenores que eram, até agora, desconhecidos da grande maioria dos pombalenses, bem como algumas curiosidades. Como é o facto de Sebastião José de Carvalho e Mello (Marquês de Pombal) ter sido provedor no período de 1772 a 1778, ou também o facto de ter havido uma provedora mulher.

“É um livro, com cerca de 400 páginas, muito interessante e muito bem escrito, acessível a qualquer leitor”, refere Joaquim Guardado. Por outro lado, o provedor enaltece a “capacidade” e a “preparação técnica” de Ricardo Pessa de Oliveira. “Trata-se de um filho da terra e com algum valor”, frisa.

A cerimónia de lançamento da obra decorrerá a partir das 17 horas no auditório da Biblioteca Municipal de Pombal. A apresentação da obra estará a cargo da professora catedrática Isabel Drumond Braga, que foi a orientadora da tese de Ricardo Pessa de Oliveira para obtenção do seu grau de doutor em História Moderna, e intitulada “Sob os Auspícios do Concílio de Trento: Pombal entre a Prevaricação e o Disciplinamento 1564- 1822”.

O lançamento do livro contará, ainda, com as presenças de Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias, e de D. Virgílio Antunes, Bispo de Coimbra.

Orlando Cardoso (texto)