Instituições beneficiam 350 mil euros com morte de Adelino Torres

0
1410

Sete instituições da cidade de Pombal vão receber 50 mil euros, cada, doados pelo antigo farmacêutico Adelino de Oliveira Torres, falecido no dia 27 de Dezembro, com 97 anos de idade.

O benemérito, distinguido em 2007 com a Medalha de Mérito Municipal, grau prata, fez questão de deixar 350 mil euros a distribuir pela Associação de Pensionistas, Reformados e Aposentados de Pombal (APRAP), Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal, Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Pombal (Cercipom), Filarmónica Artística Pombalense, Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Pombal, Santa Casa da Misericórdia de Pombal e a Associação de Pais e Educadores para a Infância de Pombal (APEPI), sobretudo as suas valências de Casa Abrigo e Centro de Acolhimento Temporário Infantil.

Adelino Oliveira Torres faleceu, vítima de doença, a poucos dias de completar 98 anos de idade.

Filho de uma família humilde de seis irmãos, iniciou a sua actividade aos dez anos de idade na Farmácia Paiva onde viria a conhecer aquela que foi, depois, a sua companheira de vida, Natália Alice de Barros. O casal, ainda solteiros, adquiriram a Farmácia Barros, que viriam a vender alguns anos depois. Já casado, Adelino Torres continuou os seus estudos vindo a concluir a licenciatura em Farmácia aos 40 anos de idade.

Entretanto, o casal instalou a Farmácia Torres, primeiro no rés-do-chão da sua residência e mais tarde transferida para a Avenida Heróis do Ultramar, onde ainda existe, hoje propriedade de um seu sobrinho.

Ao longo da sua vida, Adelino Torres destacou-se pelas suas acções de benemerência e ajuda aos mais necessitados. Para além de ter recebido a Medalha de Mérito Municipal, atribuída pela Câmara de Pombal, foi distinguido pela Caixa Geral de Depósitos por ser o cliente mais antigo da agência de Pombal. Da Liga dos Bombeiros Portugueses recebeu a Medalha de Serviços Distintos, grau ouro, enquanto benemérito da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal, a quem, para além de diversos donativos ao longo dos anos, ofereceu uma ambulância. Também o Rotary Clube de Pombal o distinguiu como Profissional de Mérito

Após o falecimento da sua mulher, e sem filhos, o antigo farmacêutico reformou-se, passando a frequentar a Associação de Pensionistas, Reformados e Aposentados de Pombal (APRAP), onde estudou pintura, inglês e informática.

Em 2008, com 91 anos de idade, estreou-se na poesia que foram publicados em livro no ano seguinte. Naquela obra, Adelino Torres fez questão de agradecer ao “povo de Pombal” a atenção que lhe dispensou “durante todo o tempo” que o serviu com as suas farmácias.

“Devo dizer que me sinto feliz por todas as atenções de que tenho sido alvo e que, deste modo, vale a pena viver”, escreveu na ocasião, onde consta, também, o testemunho de Maria da Luz Vilhena, viúva do seu irmão Luís Torres: “a sua sensibilidade, por todos nós, toca-nos bastante e aqui demonstra bem o carinho e amizade para com toda a família, amigos, colaboradores e o amor que sempre teve pela sua mulher, pela sua terra natal, pela natureza e pela vida”.

Também Nascimento Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Pombal e da direcção da APRAP, enaltece a personalidade de Adelino de Oliveira Torres, considerando-o “um homem simples, afável, amigo do seu amigo, merecendo-nos respeito e ternura” sendo “alguém muito especial nos tempos que correm”.

Por sua vez, a Comissão Política Concelhia do PSD de Pombal emitiu um comunicado onde “regista com grande pesar” o falecimento de Adelino Torres. “A sua participação cívica, constitui um verdadeiro exemplo, que o PSD Pombal, tomará como referência, certo que dessa forma o seu exemplo e memória permanecerão entre nós”, lê-se no comunicado.

A estrutura partidária presidida por Pedro Pimpão recorda o antigo farmacêutico, “um dos grandes impulsionadores da social-democracia no concelho”, era irmão do fundador do PSD Pombal, Luís Torres, “que será homenageado numa tertúlia a 24 de Janeiro”.

Orlando Cardoso