Incêndio em parque de estacionamento subterrâneo causa um ferido grave

0
803

Um incêndio no parque de estacionamento subterrâneo do Largo São Sebastião, no centro da cidade de Pombal, causou um ferido grave. A vítima era o dono de um dos veículos estacionados no local que, ao tentar apagar o incêndio, acabou por ser intoxicado pelo fumo, ficando inanimado no local. As chamas começaram no piso -2 e obrigaram também à evacuação do edifício da PMUGest e da Associação Comercial, localizado junto ao acesso ao parque.
A ocorrência foi registada não início da tarde do passado dia 6, quando os alarmes do parque dispararam devido ao fumo, e para o local foram mobilizados dois veículos de combate a incêndios dos Bombeiros Voluntários de Pombal, um veículo de comando e um da PSP.

Apesar do realismo de todo o cenário, a verdade é que se tratou de um exercício operacional que envolveu o Serviço Municipal de Protecção Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia de Segurança Pública, com o objectivo de treinar estes agentes de protecção civil em situações de maior complexidade, bem como conhecer conhecer e testar os equipamentos daquela infra-estrutura.
“Tratou-se mais de um exercício e não de um simulacro”, começa por esclarecer o coordenador da Protecção Civil Municipal, uma vez que “as entidades sabiam o que aqui vinham fazer”. Hugo Gonçalves explica que “o teste foi à infra-estrutura da Câmara Municipal”, com o intuito de “verificar se os sistemas de segurança contra incêndios estavam todos a trabalhar”, o que se confirmou no decorrer das operações. “Os alarmes estão a tocar, a ventilação foi efectuada de forma automática e todos os sistemas actuaram em conformidade”. No cômputo geral, o coordenador da Protecção Civil Municipal faz um balanço positivo, afirmando que “correu muito bem e estão todos de parabéns”.
O exercício esteve integrado no programa da Semana da Protecção Civil, que decorreu de 1 a 9 de Março. Desenvolvido pelo Serviço Municipal de Protecção Civil de Pombal, a iniciativa teve como objectivos “a educação e sensibilização da população; reforçar a bolsa de operadores DAE (Desfibrilador Automático Externo) aumentando a segurança de todos; dotar os diversos agentes de protecção civil de mais conhecimento pessoal e profissional; e, promover o treino e mais conhecimento de infra-estruturas críticas existentes no concelho”.