Festival de teatro abre com estreia de espectáculo inédito

0
707

Evento cultural resulta de uma organização conjunta do TAP e da Câmara de Pombal, que investe cerca de 14 mil euros. Este ano, o festival vai chegar às freguesias de Vermoil, Louriçal e Vila Cã.

“Km 0” é a nova produção do Teatro Amador de Pombal (TAP) e do Grupo de Teatro de Idanha-a-Nova (Ajidanha) que vai abrir o já tradicional Teatro Amador de Pombal, esta sexta-feira às 21:30 horas no Teatro-Cine de Pombal. Com encenação de Rui M. Silva, aquele “projecto ambicioso” que resulta de um desejo com “alguns anos” de juntar os dois grupos de teatro, afirma Catarina Ribeiro, presidente do TAP, anunciando que após a estreia em Pombal, a peça subirá ao palco, no dia seguinte, em Idanha-a-Nova.

O espectáculo “Km 0” relaciona-se com a questão da fronteira, que não é apenas o limite simbólico de um território ou de uma comunidade, unida por elementos comuns, em oposição ao outro, mas um espaço de encontros, de influências, de relações e de cumplicidades. “Um espectáculo divertido, mas que leva as pessoas a pensar o tempo em que vivemos actualmente”, refere Humberto Pinto, membro do TAP e um dos actores, juntamente com Carla Sofia, Cristina David, Gabriel Bonifácio, Joana Eduarda, Pedro Grácio e Rui Pinheiro.

No encontro com os jornalistas, na segunda-feira ao final da tarde e que serviu para apresentar o Festival de Teatro, Catarina Ribeiro realça o cartaz da edição deste ano, que conta com oito espectáculos, entre eles a peça “Txatarra” pela companhia espanhola “Malas Campanias”. Por outro lado, a dirigente destaca o facto de, mais uma vez, o evento ser descentralizado, ao levar o festival às freguesias de Vermoil, Louriçal e Vila Cã.

Por sua vez, o presidente da Câmara de Pombal aproveitou a ocasião para “agradecer o reforço que, ao longo de 40 anos, o TAP tem desenvolvido, como grande agente e actor cultura do concelho”. Para Diogo Mateus, o grupo “é um marco inigualável em todo o esforço que, nestas últimas décadas, tem sido feito para trazer a cultura aos pombalenses nas suas múltiplas formas”.

O autarca realçou a actividade cultural que tem sido realizada no concelho, e citou “dados recentemente publicado” pelo Instituto Nacional Estatística (INE) no “inquérito ao financiamento de actividades culturais, recreativas e desportivas pelas câmaras municipal”, Dados que, segundo o edil, “coloca o Município de Pombal numa posição muito destacada naquilo que são os investimentos culturais que são feitos, não só na área da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria, mas também no país”.

Depois da estreia da peça “Km 0” na sexta-feira, o festival prossegue no sábado, pelas 21:30 horas, no Jardim do Cardal, com a peça “Passagem” pelo grupo “Projectos de Intervenção Artístico”. No domingo, pelas 17 horas, no Largo do Cardal, será a vez do grupo “Nuvem Voadora” apresentar “Fábrica das Gravatas”. Um espectáculo que será repetido, na segunda-feira, pelas 10:30 e pelas 14:30 horas, no Teatro-Cine, destinado à comunidade escolas e aos utentes das instituições particulares de solidariedade social.

Orlando Cardoso

Notícia publicada na Edição nº82, de 26 de Maio