Conclusão do IC8 fora das prioridades do Governo

0
1652

Ainda não é desta que vão ficar concluídas as obras de requalificação do IC8. O investimento não está contemplado no relatório das Infra-estruturas de Elevado Valor Acrescentado. Assembleia Municipal de Ansião já aprovou moção contra esta decisão.

As obras de conclusão da requalificação do IC8, entre os nós de Avelar (Ansião) e Pombal, ficaram de fora do chamado relatório IEVA – Infra-estruturas de Elevado Valor Acrescentado.

A não inclusão daquele investimento, reclamado há já cerca de três décadas, levou a Assembleia Municipal (AM) de Ansião a aprovar por unanimidade, na última sessão daquele órgão, uma moção de protesto contra esta decisão do Governo.

No documento, dirigido ao ministro da Economia, ao secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, ao presidente da Estradas de Portugal e aos elementos do grupo de trabalho para as Infra-estruturas de Elevado Valor Acrescentado, os membros da AM de Ansião consideram que a medida é “contrária aos princípios de coesão territorial e do combate à desertificação”, uma vez que permitiria “alavancar a competitividade e o desenvolvimento da economia nacional”. Além disso, iria “assegurar a mobilidade e a acessibilidade a pessoas e bens”, fomentando, segundo os deputados municipais, “a atracção e fixação de empresas e o desenvolvimento do tecido industrial em toda uma região”. Os subscritores da moção denunciam ainda que a gradual diminuição da densidade populacional tem relegado a região para segundo plano, “pese embora todo o potencial económico que encerra”. Argumentam também que o troço em causa, com uma extensão de 25 quilómetros, “é o único” que, comparativamente ao restante itinerário, “não beneficia de um perfil IC, conforme normalização”. Acrescentam os subscritores da moção que a infra-estrutura afecta directamente 120.000 habitantes dos concelhos a norte do distrito de Leiria, uma vez que se trata de uma “ligação importante e preponderante entre o litoral e o interior do país”, mas influencia também, de forma indirecta, os distritos de Castelo Branco, Santarém e Coimbra.