Seis pessoas detidas em operação da GNR de Pombal

0
1780

Após cerca de um ano de investigação, o Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Pombal da Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve, esta quarta-feira, seis indivíduos suspeitos pela prática de vários crimes, como furtos, receptação, detenção de armas proibidas e cultivo de cannabis. Para além daqueles seis detidos, com idades compreendidas entre os 19 e os 70 anos, foram constituídos arguidos outros dois indivíduos.

As detenções ocorreram no âmbito do cumprimento de 12 buscas realizadas em residências e armazéns nos concelhos de Pombal, Alvaiázere e Figueiró dos Vinhos, envolvendo 146 militares do Destacamento Territorial de Pombal, Unidade de Intervenção, Comando Territorial de Coimbra, e Destacamento de Intervenção de Leiria.

Segundo fonte do Comando Territorial de Leiria da GNR, os detidos são na sua maioria desempregados, havendo um operário fabril, um sucateiro e um aposentado. A mesma fonte adianta que os crimes terão sido praticados em várias localidades dos distritos de Leiria, Santarém, Coimbra e Castelo Branco, tendo a GNR registado, até ao momento, oito participações por parte das vítimas.

Num comunicado emitido ontem, o mesmo comando da GNR informava que a operação decorreu entre as 7:00 e as 19:00 horas de quarta-feira, 8 de Julho, e resultou na apreensão de inúmero material, como duas caçadeiras, três revólveres, duas réplicas de armas de fogo, três armas de recreio, uma escola, 160 munições, cinco aerossóis, 15 engenhos explosivos para exercício de caça, para além de quatro plantas de cannabis, 66 artigos de construção civil (berbequins, rebarbadoras, geradores), 16 motosserras, cinco motorroçadores, quatro aparelhos de som, 22 telemóveis, quatro tablet, três computadores, três LCD, quatro máquinas fotográficas, sete lanternas, e uma mesa de matraquilhos.

Foram apreendidos, ainda, vários artigos em ouro e prata e dezenas de garrafas de bebidas.

De acordo com o Comando Territorial da GNR de Leiria um dos detidos, com antecedentes criminais pela prática de furtos qualificados, será presente para primeiro interrogatório judicial no Departamento de Investigação e Acção Penas (DIAP) de Leiria, enquanto os restantes arguidos “foram notificados” para comparecerem no Tribunal de Figueiró dos Vinhos.

ORLANDO CARDOSO (texto)