Obras implicam “cuidados” no Alto do Cabaço

0
1094

A circulação do trânsito automóvel no Itinerário Complementar nº 2 (IC2, ex-EN1), na zona do Alto do Cabaço, na entrada Norte à cidade de Pombal, está, desde a passada terça-feira, a ser feita através de uma rotunda provisória. A situação insere-se nas obras de construção da Rotunda do Alto do Cabaço.

Segundo a Câmara Municipal, “a entrada e saída de Pombal passa a ser realizada através dessa rotunda de obra temporária”. “As alterações estão devidamente sinalizadas no local, pelo que se solicita aos automobilistas que redobrem os cuidados”, acrescenta.

O aviso público foi feito depois de, no passado dia 18, o assunto ter sido levado à mesa do executivo pela vereadora do Partido Socialista, Marlene Matias. A autarca transmitiu ao executivo a sua preocupação face à “sinalização confusa e deficiente” na zona de obra, o que tem originado a “muitas queixas” por parte dos condutores. Em jeito de resposta, o presidente da Câmara reconhece a complexidade das obras, designadamente na actual fase de construção da rotunda propriamente dita em pleno IC2, e sem interrupção de circulação. Contudo, tanto Diogo Mateus como o seu vice-presidente consideram que “não existe falta de sinalização”.

Pedro Murtinho informou que o plano de segurança e de sinalização foi implantando no terreno após uma reunião conjunta com os técnicos do empreiteiro, do município, da empresa Infraestruturas de Portugal e do Destacamento de Trânsito da Guarda Nacional Republicana. Por outro lado, o vereador com o pelouro da Gestão de Obras Públicas referiu que no período crítico da manhã (hora de ponta na entrada de automóveis na cidade) estará no local, sempre que possível, militares da GNR. No entanto, reconheceu que possam existir alguns “aspectos” a alterar, durante a fase de maior impacto daquela empreitada municipal.

Partilhar
Artigo anteriorCentro de Saúde já tem EcoEscovão
Próximo artigoMunicípio recebe 25 mil euros para ‘inserir’ jovens ciganos
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.