Câmara encerra programa Porta Aberta na zona histórica

0
1255

A Câmara de Pombal deliberou pôr um fim ao programa de incentivo ao arrendamento comercial a jovens na zona histórica da cidade, face à inexistência de candidaturas. O “Porta Aberta” era um programa de “incentivo à actividade comercial de jovens empreendedores com rendas reduzidas e sob a égide de uma filosofia de partilha de espaços.”
Na última reunião do executivo, a vereadora Ana Gonçalves, que esteve na base do programa, enalteceu a importância do mesmo para a dinamização da zona histórica da cidade. Na sua opinião, o “Porta Aberta” chegou a incentivar “sete negócios” que agora, “de uma forma, ou de outra, existem em outros locais e canais”. Daí que Ana Gonçalves faça realçado que “o objectivo foi conseguido”, realçando, ainda, uma “nova dinâmica” implementada naquela zona da cidade, onde “apenas existem duas lojas disponíveis”, tendo a funcionar mais de meia centena de estabelecimentos comerciais a funcionar.
Por outro lado, a vereadora destaca o facto de o projecto “Mercearia da Praça”, que esteve na génese do programa, ter manifestado o interesse em continuar no local, agora de uma forma independente.
De acordo com a deliberação do executivo camarário, presidido por Diogo Mateus, a decisão de encerrar aquele programa surgiu depois de no âmbito da 9ª fase do concurso não ter sido “recepcionada qualquer candidatura para a ocupação” de uma loja disponível, arrendada para o efeito, pelo município.
“Em face da inexistência de candidaturas por parte dos jovens empreendedores que se integrem no conceito do citado programa a uma eventual fase, parecer resultar claro que a manutenção do contrato de arrendamento da loja carecerá de sentido, uma vez que os custos para o erário municipal se afiguram claramente desproporcionados aos benefícios daí decorrentes”, refere a proposta aprovada em reunião camarária.
O “Porta Aberta” foi implementado em Julho de 2014, com o município a arrendar lojas no centro histórico da cidade, que estavam vazias, para depois as subalugar a jovens empreendedores que pretendiam iniciar com os seus negócios. E, dessa forma, também, revitalizar e dinamizar um núcleo urbano que estava a registar um decréscimo, provocado, essencialmente, pelo encerramento de comércios.

Partilhar
Artigo anteriorPraia das Rocas quer atingir 120 mil entradas este ano
Próximo artigoRenascer das Cinzas
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal”, quinzenário com o qual deixou de colaborar no final de Maio de 2020.