Terras de Sicó tem um milhão de euros para pequenos investimentos

0
563
DR

A Terras de Sicó – Associação de Desenvolvimento tem abertas novas candidaturas ao programa PDR M10-Leader no valor global de um milhão de euros, destinado a apoiar pequenos investimentos nas explorações agrícolas e a projectos de renovação de aldeias.
As novas candidaturas, até 14 de Outubro, surgem depois de a associação ter cumprido “os critérios de atribuição da reserva de eficiência na sua gestão do PDR 2020 – Abordagem Leader, alcançando o reforço do envelope financeiro para o território de intervenção”, correspondente aos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela, Pombal e Soure.
Na tipologia de “Pequenos investimentos nas explorações agrícolas”, haverá uma dotação orçamental total de cerca de 128 mil euros, com vista a “promover a melhoria das condições de vida, de trabalho e de produção dos agricultores; e, contribuir para o processo de modernização e de capacitação das empresas do sector agrícola.”
Já a tipologia “Pequenos investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas”, prevê uma dotação total a rondar os 226 mil euros, e destina-se a apoiar projectos que pretendam “contribuir para o processo de modernização e capacitação das empresas de transformação e comercialização de produtos agrícolas.”
Por sua vez, para a “Diversificação de actividades na exploração agrícola”, as candidaturas têm à sua disposição pouco mais de 100 mil euros. A tipologia visa “estimular o desenvolvimento, nas explorações agrícolas, de actividades que não sejam de produção, transformação ou comercialização de produtos agrícolas, criando novas fontes de rendimento e de emprego; e, contribuir directamente para a manutenção ou melhoria do rendimento do agregado familiar, a fixação da população, a ocupação do território e o reforço da economia rural.”
O quarto e último aviso aberto refere-se à “Renovação de aldeias”, com uma dotação global superior a 550 mil euros. As candidaturas apresentadas “devem prosseguir o objectivo de preservar, conservar e valorizar os elementos patrimoniais locais, paisagísticos e ambientais.”

Partilhar
Artigo anteriorJovem médico pombalense realizou missão de voluntariado em Moçambique
Próximo artigoProprietário vai ter de demolir imóvel que sofreu derrocada
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.