Pombal quer mais de 300 a correr nos gambuzinos

0
949

A Câmara de Pombal quer ultrapassar os 300 participantes na Corrida dos Gambuzinos que terá lugar, pelo segundo ano consecutivo, no próximo sábado, 4 de Julho. Uma corrida nocturna de aventura com a singularidade dos atletas terem de percorrer diversos edifícios municipais, monumentos, entre muitos outros locais e obstáculos.

A segunda edição da prova, que contempla, ainda, uma vertente de caminhada, surge depois do “grande sucesso” e do “feedback extremamente positivo por parte dos participantes”, explicou Fernando Parreira, Vereador do Desporto da Câmara Municipal, terça-feira ao final da tarde em conferência de imprensa.

A singularidade da prova foi um dos factores que maior atenção despertou nos participantes, que tiveram que percorrer “diversos edifícios públicos e um autocarro, entre muitas muitos outros locais em que normalmente não associamos a este tipo de evento”. “A edição deste ano trará, de certeza, ainda mais surpresas aos participantes”, adianta o autarca, avançando a hipótese dos atletas terem a oportunidade de “deslumbrar os gambuzinos” aquando da sua passagem pelo Castelo da cidade.

De acordo com Fernando Parreira, a corrida será disputada na tipologia de contra-relógio, “onde só depois do último atleta chegar é que se irá saber quem são os vencedores, em função do tempo obtido por cada atleta”.

O vereador não tem dúvidas de que a “proposta arrojada” que se iniciou no ano passado se traduziu num sucesso, salientando a “originalidade e inovação” da competição. “É uma prova totalmente ‘sui generis’ e ficaremos muito satisfeitos se o conceito for exportado para outras zonas do país”, afirma.

Aquando da apresentação pública da prova, encontravam-se inscritos 256 atletas e Fernando Parreira, que se fez acompanhar pelos seus companheiros de executivo Pedro Murtinho e Ana Gonçalves, desejou que “fossem ultrapassados as 300 inscrições e até chegar perto dos 400”.

Por outro lado, o vereador realça as parcerias estabelecidas pela Câmara Municipal para a realização daquele evento, referindo-se, em especial, à Nemoto, que à semelhança do ano anterior permitiu que as “t-shirts” disponibilizadas aos atletas “brilhem” no escuro, devido ao pigmento florescente” produzido por aquela empresa japonesa.

ORLANDO CARDOSO (texto e foto)