Ansião já dispõe de 130km de percursos pedestres

0
1157

O vice-presidente da Câmara de Ansião diz que a aposta no Trail tem sido uma estratégia de atracção ao território, assim como o BTT ou o Ciclocrosse, as caminhadas e outras iniciativas promotoras da saúde física e mental. A aposta no desporto de natureza como promotor do território é, na perspectiva de Paulo Fernandes, “uma aposta ganha”. Falta, no entanto, capacidade de resposta hoteleira e de restauração para fazer face a esta realidade.

O vice-presidente da Câmara de Ansião acredita que a aposta no desporto de natureza, tirando partido do património natural, tem ajudado a desenvolver o território

A Rede de Percursos Pedestres do concelho de Ansião “encontra-se em remodelação”. Ao todo, o território apresenta agora “mais quatro rotas devidamente marcadas e sinalizadas, prontas para homologar, ampliando assim a rede para sete Pequenas Rotas”, revelou o vice-presidente do Município, Paulo Fernandes, responsável pela pasta da Juventude, Desporto e Tempos Livres. Ao todo, as rotas têm uma extensão de 130km, “devidamente preparadas para serem percorridas”. A estas juntam-se os três troços da Grande Rota Terras de Sicó (GR26), “com cerca de 40km a passar em Ansião pela Rota Carmelita e pelo Caminho de Santiago”, salienta o vice-presidente.
A aposta nesta rede, composta por sete rotas temáticas, aliada a uma “forte dinâmica de actividades de natureza e com as parcerias estabelecidas”, tem-se traduzido, nas palavras de Paulo Fernandes, num “significativo aumento da prática regular da caminhada e da corrida, que muito têm contribuído para a divulgação do nosso território”. A título de exemplo, o edil recorda “o impacto do Campeonato Municipal de Trail, com o apoio do Município de Ansião aos parceiros no suporte à realização das suas provas”, mas também “o Programa “Eu Posso Correr”, implementado desde 2018, ou as caminhadas, no âmbito dos Jogos Desportivos do Concelho, como factor de promoção do desporto de natureza”, elenca aquele responsável.
Em complemento, e com objectivo de apoiar os utilizadores desta Rede de Percursos Pedestres, mas também outras modalidades como o BTT, o Ciclismo de Estrada ou o Gravel, Paulo Fernandes adianta que se encontra “em fase de conclusão” o Centro de Apoio a estas práticas, “idealizado no âmbito de um projecto de Valorização do Património Natural da Região de Leiria”. Um equipamento que se vem juntar a outros projectos previstos para esta área, como é o caso do Centro de Cycling, “identificado e integrado na estratégia de desenvolvimento desportivo concelhia”, atendendo ao número de praticantes que praticam a modalidade naquele território. O objectivo, frisa Paulo Fernandes, é “dotar Ansião com mais e melhores condições”.

Falta de resposta hoteleira
Paulo Fernandes não tem dúvidas de que “a promoção do território tem sido conseguida, através da prática do desporto de natureza no concelho de Ansião”, assumindo que é, “efectivamente, uma aposta ganha”, não só como “factor de saúde e bem-estar, mas também como factor de desenvolvimento turístico”.
“Consideramos que existem no concelho condições privilegiadas para a prática de desporto de natureza, sendo o Campeonato Municipal de Trail uma iniciativa que muito tem contribuído para a promoção da prática da corrida e divulgação do nosso território, não só nacionalmente, como internacionalmente”, destaca o vice-presidente da autarquia. Salvaguarda, no entanto, que tal só é possível “através da cumplicidade e união existente entre os vários organizadores do concelho e o Município de Ansião”.
Sobre o retorno económico desta aposta, Paulo Fernandes não tem dados objectivos, mas adianta que, da auscultação que tem sido feita junto dos agentes económicos locais, este é “positivo”. Reconhece, no entanto, que “esta dimensão pode ser melhorada”, uma vez que nem sempre o concelho tem “capacidade de resposta hoteleira ou de restauração” para fazer face à elevada participação em alguns eventos.

As pessoas como factor diferenciador
Questionado sobre os factores diferenciadores do território de Ansião, Paulo Fernandes entrega o mérito às “pessoas”, sublinhando a “dinâmica associativa, diria eu, sem igual”, que existe na comunidade. Além deste “espírito de entrega” e de “uma vontade de dinamizar e de agir, que tem imprimido uma dinâmica desportiva diferenciadora”, o tutelar da pasta do Desporto diz que “são apresentadas ideias que nos distinguem e nos tornam pioneiros, em muitas iniciativas”. Neste campo, o Gabinete de Desporto tem sido “uma das chaves de sucesso para o desenvolvimento desportivo no concelho”, desenhando uma estratégia que “passa também por ouvir os parceiros, procurando fazer, ou implementar as actividades consideradas importantes, não só para o bem-estar da população, mas também, procurando associá-las à nossa riqueza natural, numa perspectiva de evolução e adaptação aos tempos e exigências actuais”.

Fixação de população
E em que medida esta valorização do património natural pode ajudar a fixar população, nomeadamente jovem, e contrariar o despovoamento? “O Município de Ansião está empenhado na procura de soluções e implementação de estratégias que contrariem esta trajectória, sendo a dinâmica municipal e a qualidade de vida a ela associada um contributo para a fixação de pessoas”, afirma Paulo Fernandes. O vice-presidente acredita que “a criação e requalificação de infra-estruturas de apoio à valorização e visitação, onde se incluem as rotas temáticas dos Percursos Pedestres, existentes no concelho, a existência de trilhos e equipamentos de apoio ao visitante, a promoção de actividades de natureza e de turismo de aventura, entre outros suportes” são também “formas de atrair e fixar pessoas, onde naturalmente se incluem os jovens”. Reconhece, no entanto, “que esta é uma dimensão que exige interligação com outras de crucial importância, nomeadamente, a habitação e o emprego, a redução da carga fiscal ou os apoios de âmbito social, mas também a criação de estruturas e oportunidades inovadoras, como é por exemplo o Centro Coworking, instalado no Centro de Negócios, ou a criação de Comunidades de Nómadas Digitais”.