A Loja de Cidadão de Ansião irá instalar-se no edifício da antiga escola primária, no centro da vila, para acolher os serviços da Autoridade Tributária, da Segurança Social, do Espaço do Cidadão, dos gabinetes de Juventude e de Apoio ao Emigrante.
Para o efeito, a Câmara Municipal aprovou, em reunião do executivo, lançar a concurso público a empreitada de requalificação e ampliação do edifício, com um valor base de cerca de 775 mil euros. A deliberação foi aprovada por maioria, com a abstenção dos três vereadores eleitos pelo PSD.
“Esta intervenção no tecido urbano de Ansião, que prevê uma melhoria significativa na qualificação dos serviços prestados à população local é mais um passo na valorização dos territórios de baixa densidade, no quadro da coesão territorial definida pelo governo”, refere a memória descritiva do projecto, frisando que a Loja de Cidadão “integra-se numa perspectiva de repartição de recursos, que se destinam à prestação de diversos tipos de serviços de atendimento ao público, criando sinergias entre a Administração Central e Administração Local, com o propósito da continuidade de políticas concertadas em prol do interesse público e dos residentes” no concelho de Ansião.
O projecto garante a manutenção do imóvel, procedendo apenas, de “forma muito limitada”, à ampliação do edifício para tardoz, permitindo cumprir com o programa funcional estabelecido. Está prevista, ainda, a construção de um piso recuado, sobre a construção existente, para instalar as funções que actualmente ocupam o espaço ao nível do rés-do-chão. Já o piso superior do edifício será dotado com um espaço polivalente destinado a actividades de âmbito cultural.

Partilhar
Artigo anteriorAnsião reúne família e afirma território durante quatro dias de festas do concelho
Próximo artigoCaminhada solidária na Charneca
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.