Teatro-Cine recebe dois espectáculos da companhia Andante este fim-de-semana

0
915

A Companhia Andante sobe ao palco do Teatro-Cine de Pombal, este fim-de-semana, com dois espectáculos.

O espectáculo À MARGEM, dE umA cErtA mAnEira – o canto do exílio sobe ao palco este sábado à noite

No sábado, a partir das 21h30, o título do álbum de José Mário Branco, Margem de certa maneira, de 1973, editado pelo autor em França, nesse tempo de exílio, dá o mote ao este espectáculo dessa noite.
Com a duração de 45 minutos, “À MARGEM, dE umA cErtA mAnEira – o canto do exílio” percorre os poemas, as canções que falam desse exílio que sofreram os que lutaram contra o fascismo ou que simplesmente se opuseram à guerra colonial. As palavras que o retratam, que o gritam, que o relembram.
A importância da valorização da memória desses dias não deverá, na perspectiva da Companhia Andante, cair nunca na nostalgia. “Que esses lamentos, que esses cantos, que esses gritos, até que essas saudades nos sirvam para compreender melhor o que foram esses tempos. E que essa compreensão nos ajude a olhar para a frente mais apetrechados, melhor preparados, porque há muitos exílios. Quem é que nunca se sentiu à margem, de certa maneira?”, questiona.

Para domingo, fica reservado “Afinal…O Gato”, direccionado a bebés e crianças, e com duas sessões: uma às 10h30 e outra às 11h30. Um espectáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Fernando Pessoa, música de Joaquim Coelho e imagem de Mafalda Milhões. “Gato que brincas na rua como se fosse na cama”: é a partir daqui que tudo começa, refere a Companhia Andante. “Mas, afinal, onde está o gato? Dentro do sapato? Dentro do poema? Dentro do livro? Dentro de nós?
Vamos jogar com ele às escondidas? Vamos? Vamos brincar com os sons, com as palavras, com as sensações, com o impossível, com o que não há? Será que no final vamos saber onde está e quem é o gato?”.

A Companhia Andante é uma companhia de teatro que se dedica exclusivamente à promoção da leitura e que foi premiada com o Prémio LER + em 2019. Trabalha com o objectivo principal da promoção da leitura, da sedução de leitores, na convicção de que melhores leitores gerarão (em princípio) melhores cidadãos, mais responsáveis, mais críticos, mais capazes de pensar e decidir pela sua própria cabeça.