HIC ET NUNC | O Largo do Freixo

0
933

No passado dia 9 de Dezembro decorreu na Junta de Freguesia de Vila Cã uma sessão pública de apresentação da maquete com a requalificação prevista para a zona central da sede de freguesia.
A concelhia do CDS-PP de Pombal esteve representada nessa reunião e enviou por escrito, ao Presidente da Junta de Freguesia e ao Município, a sua análise ao trabalho apresentado, as suas criticas e recomendações.
A pala sugerida na maquete apresentada, teria cerca de 2.000 m2 o que iria alterar esteticamente o largo, nivelando e descaracterizando o espaço, perdendo-se o formato de anfiteatro natural existente.
Os edifícios da sede da Junta de Freguesia e do Centro Cultural e Recreativo (CCR), têm que continuar a fazer parte da estrutura principal da praça não podendo ser relegados para segundo plano ou ocultados por qualquer outra estrutura, devendo aliás ser valorizados.
O Freixo ali existente, plantado há mais de 500 anos, classificado como árvore de interesse público desde 2020 e que dá nome ao largo, tem que ser preservado e assumir um papel central em todo o projeto.
Sugerimos que seja incluída a construção de algumas lojas de pequena dimensão numa das laterais do largo, que permitam no futuro a instalação de espaços comerciais, assim como a criação de um parque infantil de proporções e equipamentos adaptados à localização.
A maioria do território do nosso concelho é rural, ruralidade essa que deve ser respeitada e ser transformada num factor de orgulho. O que torna os territórios atrasados e despovoados não é a falta de edifícios modernos ou de praças de linhas bicudas, o que torna os territórios abandonados é a gestão deficiente dos recursos disponíveis, a degradação das estruturas existentes e a falta de equipamentos básicos.
Tive conhecimento há poucos dias que a freguesia vai ter em breve um equipamento ATM. São estas pequenas “mordomias”, normais para qualquer cidadão citadino, que são imprescindíveis para a fixação das populações.
No orçamento municipal para 2024 está previsto gastar-se 450.000€ em asfaltamentos, 100.000€ em saneamento e 88.500€ na correção de um erro do passado com a construção de um polidesportivo (campo de jogos ao ar livre?) no centro escolar.
Para que o leitor consiga analisar a política prevista e tirar as suas conclusões, na requalificação do centro de Vila Cã está previsto investir-se 1.100.000€ e no parque verde 730.000€, verbas que supostamente terão origem em fundos europeus. Para além de não acreditar em dinheiro grátis estou certo que em qualquer uma destas obras é possível, com muito menos dinheiro, ter resultados dignos que cumpram aquele que deve ser o objetivo principal dos investimentos públicos, reverter o esvaziamento populacional do nosso território.
Na versão final do projeto do largo do Freixo deve ser considerada a possibilidade de construção, na zona envolvente, de habitação uni ou plurifamiliar a preços controlados. Aliás, o Município e a Junta de Freguesia devem ter esta preocupação em mente na sua ação, principalmente na revisão do PDM que se iniciará em breve.
Este projeto de requalificação é uma necessidade e um desejo das populações, pelo que espero exista a capacidade de o alterar integrando os diversos contributos recebidos, algo que podia ter sido feito previamente.

Telmo Lopes
Presidente da comissão política concelhia de Pombal do CDS-PP