Freguesia de Pombal investe em acção social

0
1289

A Junta de Freguesia de Pombal apresentou um orçamento para 2015 no valor de 1 milhão e 86 mil euros. Cerca de 2,5% da despesa prevista direcciona-se para a acção social.

A criação da Comissão Social de Apoio à família foi apresentada como uma das grandes bandeiras deste executivo da Junta de Freguesia, que pretende intervir junto daqueles que mais dificuldades sentem a nível social. Nascimento Lopes deu conta que a primeira fase do processo passou por tentar aferir a situação económico-social das crianças, pelo que foi feita uma relação de todas as famílias carenciadas, identificadas a partir das crianças do pré-escolar e do primeiro ciclo. Após esta análise a junta identificou 32 famílias às quais ofereceu cabazes de alimentos durante o Natal.

O objectivo é dar continuidade a este trabalho e juntar as instituições da freguesia para identificar todos os casos de dificuldades, tanto nos mais novos como nos mais velho. Na componente social, Manuel Escalhorda, tesoureiro da junta lembrou que o orçamento disponibilizado, “é pouco para as necessidades, mas é muito em termos de investimento”.

Outro investimento destacado foi o Parque de Merendas do Cotrofe, relativamente ao qual ainda se pretende fazer mais obras. “Queremos valorizar ainda mais aquele espaço”, assume Nascimento Lopes, justificando assim a dotação orçamental de 10 mil euros. Sidónio santos, na sua estreia na Assembleia, entre outros aspectos, questionou precisamente alguns investimento realizados neste parque de merendas, nomeadamente a construção de um palco fixo. No seu entender esta não é uma boa aposta, principalmente quando percebe que há muitas associações que poderiam beneficiar caso tivesse sido feita a aquisição de um palco móvel, que assim teria hipóteses de maximizar a sua utilização.

Na bancada do Partido Socialista, Carla Mariza afirmou que no explanado nos documentos previsionais “existe alguma colagem às actividades da Câmara Municipal”, assinala, defendendo que a Junta de Freguesia devia ser mais inovadora e não apresentar apenas coisas que “são quase sempre as mesmas”.

Em relação ao exposto, Nascimento Lopes defendeu-se, dando conta de alguns eventos da exclusiva responsabilidade da junta, que serão para manter este ano, e ainda outros, como o Prémio António Serrano, que irá regressar com alterações.

Os documentos financeiros foram aprovados por maioria, com cinco abstenções.

Junta tomou posição contra caulinos

Na sequência do pedido de concessão de licença para exploração de caulinos na denominada zona “Mendes 2”, por parte de uma empresa pombalense de extracção mineral, a junta emitiu um parecer desfavorável. Esta foi a informação dada por Nascimento Lopes na informação sobre a actividade da junta, afirmando que “tal como temos feito em outras situações análogas, dissemos que não concordamos”, sublinhando o facto de ser “prejudicial para o ambiente e para as pessoas”.