Região de Leiria quer que Governo avance com requalificação do IC8 e do IC2 em 2023

0
839

A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) considera que o Governo deve incluir no Orçamento de Estado para 2023 a requalificação do IC8 entre Pombal e Avelar (Ansião) e da EN1/ IC2 entre Leiria e Pombal. Esta é uma das “seis medidas prioritárias” que constam no documento aprovado pelos 10 concelhos da região de Leiria e remetido aos grupos parlamentares com representação na Assembleia da República e ao Governo.

“A CIMRL defende a conclusão dos investimentos previstos no Plano Rodoviário Nacional, com especial ênfase nas intervenções nas principais ligações rodoviárias dos seus territórios”, como a melhoria do IC8 entre Pombal e Avelar, a requalificação da EN1/ IC2 entre Leiria e Pombal e a ligação do IC9 à A1.

Numa nota de imprensa, aquela estrutura entende que estes investimentos previstos no Plano Rodoviário Nacional devem ser executados com a “maior urgência” pelo Governo, com vista a reforçar a “melhoria das condições de segurança e circulação nos eixos principais e vias complementares de elevada sinistralidade rodoviária”.

Ainda na área da mobilidade, os municípios da região de Leiria entendem que “a primeira fase da Linha de Alta Velocidade deve incluir também a construção do centro intermodal/estação de Leiria de apoio a esta linha de alta velocidade para passageiros e enquadrado na requalificação da linha do Oeste”.

No mesmo documento, a CIMRL propõe a criar na área de influência do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) uma unidade de saúde local de Leiria “com gestão empresarial, que se acredita vir melhorar o funcionamento da prestação de cuidados de saúde na região” e demais áreas de influência do CHL.

A instalação do Museu Nacional da Floresta na Marinha Grande e do HUB logístico de Leiria, com vocação para empresas exportadoras e mercado ibérico, são outras “medidas prioritárias” constantes no documento, que sugere ainda o reforço de apoios para projectos inovadores de tratamento e valorização de resíduos, bem como para investimentos ao nível da descarbonização dos transportes públicos e de mercadorias.