Oferta formativa adapta-se a novas realidades

0
349

Em Dezembro, estavam inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) 1153 desempregados. Destes, 711 eram desempregados de curta duração e 442 de longa duração.

Ainda assim, as empresas do concelho de Pombal têm conseguido manter os postos de trabalho num período marcado por uma conjuntura económica desfavorável. “Apesar da crise em que vivemos, o nosso concelho não registou um aumento muito elevado de novas inscrições em relação ao período antes da crise”, revela Pascoal Oliveira. O consultor e formador da Associação de Industriais do Concelho de Pombal (AICP), sediada no Parque Industrial Manuel da Mota, revela que esse aumento é de “cerca de 150 inscrições”. A maioria destas novas inscrições resulta do término de contratos temporários e de colaboradores da área da restauração, um dos sectores mais afectado pela pandemia.
Inserida no ‘coração’ do maior parque industrial do concelho, a AICP conhece de perto a realidade do tecido económico ali inserido. “Que tenhamos conhecimento, as empresas estão a conseguir ultrapassar esta crise com bastante resiliência, não se registando despedimentos em grande escala”, uma vez que os sectores de actividade ali instalados não são os mais atingidos pela conjuntura económica desfavorável.

Novas competências
Com um ano de 2020 atípico, obrigando muitas empresas a adaptar-se para enfrentar os novos desafios, Pascoal Oliveira diz que a AICP tem procurado estar atenta às necessidades formativas daí resultantes. “A associação tem prestado apoio aos empresários na aquisição de novas competências, através de formações por e-learning (à distância)”, que permitem aos trabalhadores estarem melhor preparados para ‘abraçar’ outras realidades.
“Houve necessidade de adaptação da nossa oferta formativa onde o digital se tornou o foco principal, devido aos vários confinamentos e às exigências das medidas da covid-19”, conta o formador da AICP. “Nesse sentido, as nossas acções de formação foram reformuladas, sendo a aquisição de competências digitais o nosso principal objectivo, sem nunca descurar as outras áreas”, revela.
“Devido ao período único que atravessamos, houve uma alteração na procura de ofertas formativa”, constata aquele responsável, acrescentando que actualmente “a preocupação dos formandos é acompanhar as novas tendências e procurar novas oportunidades no digital e de futuro na transição para a Economia Verde”.
Neste âmbito, Pascoal Oliveira destaca a preocupação em estabelecer uma articulação entre a oferta formativa e as necessidades do tecido empresarial. “A nossa missão é e será sempre prestar auxílio às empresas no sentido de colmatar as suas necessidades” e responder aos “novos desafios”. Na linha dessa preocupação, “estamos a lançar um programa de formação gratuita para os trabalhadores no activo, bem como a lançar programas de qualificação (Cursos Profissionais/ Cursos EFA) para desempregados”.
Questionado sobre as áreas onde é mais difícil recrutar colaboradores, o formador da AICP diz que as empresas “têm dificuldade em contratar trabalhadores com algumas competências muito específicas, nomeadamente, técnicos de maquinação e operadores de CNC, técnicos de manutenção, soldadores, manobradores de empilhadores e em algumas áreas digitais”. Complicações que se prendem, segundo explica, com a “especificidade das funções” e que “têm sido descuradas pelos moldes de formação/educação mais tradicionais”, mas que a AICP está atenta e irá “privilegiar em futuras formações”.

Projectos em curso
É com “bastante optimismo” que a AICP encara o futuro. “Temos alguns projectos a decorrer e outros em preparação”. Para além do Centro Qualifica, “que permite obter uma certificação escolar e/ou profissional, conjugando o que aprendeu ao longo da vida, em diferentes contextos”, a associação disponibiliza formação financiada para empregados e desempregados, formação à medida para as empresas, tendo igualmente previsto iniciar, ainda este ano, cinco cursos de Educação e Formação para Adultos (EFA’s).
A par da vertente formativa, a AICP dispõe de outros serviços. É posto de correios, destinado a empresas e particulares, oferecendo vantagens ao nível do estacionamento e celeridade no atendimento. Além disso, a associação tem um serviço de cedência de espaços, com salas de formação, salas de reuniões, auditório, armazém e salas onde as empresas podem desenvolver a sua actividade privada.