“Casas de Esperança” propõe combater o isolamento social dos idosos

0
1208

A Santa Casa da Misericórdia de Pombal pretende alargar e inovar os seus serviços de saúde e animação para combater o isolamento social dos idosos. Este é um dos projectos apoiados pela Caixa Geral de Depósitos, no âmbito dos Prémios Caixa Social, que visa dar resposta aos impactos sociais provocados pela pandemia covid-19.
Os cerca de 130 utentes das três respostas sociais da Santa Casa da Misericórdia de Pombal são os primeiros a beneficiar do projecto “Casas de Esperança”, que chega em Outubro ou Novembro, com vista a responder às limitações impostas aos idosos devido ao confinamento imposto pela covid-19.
Em tempos de pandemia, os idosos do lar estão limitados ao espaço físico da instituição, os utentes do Centro de Dia são apoiados nas suas casas e os seniores do Serviço de Apoio Domiciliário estão limitados nos contactos sociais.
“Este confinamento a que os idosos estão obrigados provoca ansiedade, depressão, diminuição da mobilidade e da estimulação cognitiva”, considera Célia Oliveira, directora técnica da Santa Casa da Misericórdia de Pombal, que pretende combater estes “problemas graves” com o projecto “Casas de Esperança”.
Assim, o projecto da Caixa Geral de Depósitos para dar resposta aos impactos sociais provocados pela pandemia covid-19 caiu em Pombal como uma luva. “Este projecto é uma medida adicional e de complementaridade para as limitações impostas aos idosos com a pandemia”, refere Célia Oliveira, para quem os 18 mil euros de apoio surgiram no momento certo.
O dinheiro destina-se a “alargar e inovar os serviços de saúde e animação da Misericórdia de Pombal”. Para isso, a instituição vai adquirir equipamentos de saúde inovadores e portáteis de fisioterapia respiratória, de prevenção de queda e de melhoria da condição física.
Para a área da animação e estimulação cognitiva, planeiam comprar uma câmara 360º, óculos de realidade virtual e tablets para que os idosos continuem a participar na sua vida familiar, em directo, através da realidade virtual. Estes equipamentos servirão também para utilização com estratégias de estimulação cognitiva e para serviços de tele-saúde.
O projecto será dinamizado por uma equipa multidisciplinar de técnicos especializados, composta por médico, enfermeiro, fisioterapeuta, psicólogo, animador sociocultural e gerontólogo. Assim, estarão diariamente dois técnicos destacados para este projecto, sendo que um fica na instituição e o outro vai deslocar-se ao domicílio dos utentes, numa carrinha já existente e adaptada para o efeito.

 

Residência Sénior Senhora do Cardal deverá estar concluída em Setembro

O novo lar da Santa Casa da Misericórdia de Pombal, com capacidade para 37 utentes, deverá estar concluído em Setembro, revelou o provedor da instituição, adiantando que na segunda-feira (dia 6) iniciaram as obras para construção de uma lavandaria que irá centralizar os serviços de lavagem e tratamento de roupa do actual Lar Rainha Santa Isabel e da futura Residência Sénior Senhora do Cardal.

Obras do novo lar deverão estar concluídas em Setembro

“A conclusão das obras de construção da Residência Sénior Senhora do Cardal está prevista para Setembro”, disse ao Pombal Jornal Joaquim Guardado, adiantando que a sua abertura deverá acontecer “entre Dezembro deste ano e Janeiro de 2021”.
“Daqui a cerca de dois meses teremos a obra concluída”, mas para a abertura da Residência Sénior falta ainda “toda a legalização do lar”, que inclui a sua “aprovação por uma série de entidades”.

De acordo com o provedor, “o novo lar terá uma lotação de 37 utentes, divididos por 21 quartos individuais e duplos”, que serão fundamentais para “minimizar a vasta lista de espera” da instituição, que “não tem camas disponíveis”. Afinal, “na área da freguesia de Pombal somos a única resposta social, além do lar da Cumieira, por isso é que há uma grande lista de espera e não temos capacidade de resposta”.
Já os serviços de cozinha e lavandaria ficarão centralizados no actual Lar Rainha Santa Isabel, por uma questão de “economia de custos”. Para isso, “iniciámos segunda-feira [dia 6] as obras de construção uma nova lavandaria, com mais área, para dar apoio a estas duas unidades”.
De referir que a construção da Residência Sénior Senhora do Cardal representa um investimento superior a 2,5 milhões de euros (acrescidos de IVA), que “não tem qualquer apoio do Estado”.
“Esta obra está a ser feita com dinheiro próprio da Misericórdia de Pombal, um subsídio no valor de 500 mil euros da Câmara Municipal e a contratação de um empréstimo de 1,5 milhões de euros junto de uma entidade bancária do concelho”.
Por isso, Joaquim Guardado apela à “comparticipação das pessoas que possam ajudar no espírito de partilha e solidariedade”. “Às vezes há a ideia errada de que as Misericórdias são muito ricas, porque recebem dos Jogos da Santa Casa, o que é mentira”, desmistificou o provedor, salientando que as economias da Misericórdia de Pombal são fruto de “uma boa gestão” por parte dos órgãos sociais da instituição, que desempenham as suas funções no “verdadeiro espírito de voluntariado”, ou seja “sem remuneração nem ajudas de custo”.

*Notícia publicada na edição impressa de 9 de Julho