OPINIÃO |100 dias: Nova ambição, velhos hábitos

0
1017

A análise dos primeiros 100 dias de governação das administrações americanas, assumiu-se como uma tradição após a liderança de Franklin Roosevelt (1933), pois nessa altura havia uma necessidade de mostrar ação política, pois os EUA estavam a enfrentar uma das suas mais graves crises económicas e sociais. As pessoas queriam ação e o político respondeu, tendo assinado 76 leis nesses 100 dias, tendo como ênfase a criação de emprego.

Acima de tudo é um posicionamento estratégico em termos de ação política futura. É indicado qual o rumo, o caminho e neste caso era fomentar a criação de emprego, riqueza e fomentar o elevador social.
Atendendo a que o enquadramento de governação do atual Presidente do Município de Pombal se assemelha a um modelo Presidencial, o que justifica a escolha da equipa que o acompanhou, qual é a marca/imagem que fica destes 100 dias de Governação?

FELICIDADE – A ideia peregrina da criação de um pelouro da Felicidade, cujo responsável é o Presidente. Já o tinha afirmado que isto é uma ideia que não tem qualquer efeito prático na governação do município e na vida das pessoas, mas fica bem na comunicação social.

FESTA – Nos últimos meses é inequívoco que demos efetivamente um salto nesta área temática, nomeadamente nas comemorações do Dia do Município e no Natal. Concordo com a importância reforçada dada a estas iniciativas, agora não concordo em nada com o modelo de realização e os resultados atingidos face ao incremento de custos que lhe estão associados. Esta será uma imagem de marca da atual Presidência, mas festas sem organização (ainda hoje está colocada a árvore de natal) e sem estratégia associada não promovem nada.

FRIENDS – As palavras “amigo” e “campeão” sempre estiveram no léxico do atual Presidente, o que até é positivo. O problema é que quando se exerce funções públicas não podemos ter esse critério para nomear as pessoas (em número excessivo) que nos poderão auxiliar na tomada de decisões, pois os “amigos” na maioria das vezes dizem aquilo que nós queremos ouvir, o que pode ser um pecado capital na gestão pública.

Portanto, nestes primeiros 100 dias de governação, a NOVA AMBIÇÃO prometida ainda não se concretizou, mas por outro lado, existem indícios de recuperação de VELHOS HÁBITOS que contribuíram para que Pombal não se desenvolvesse em termos económicos, sociais e humanos como seria expectável, nas últimas décadas.

Vamos aguardar pelo que nos reserva os restantes 1361 dias desta governação municipal……

Sidónio Santos | Economista

*Artigo publicado na edição impressa de 03 de Fevereiro