Lurdes Serrano premeia vencedor do Open e Árbitro Internacional

0
1197

Maria Lurdes Serrano, natural de Pombal, desenvolveu a sua vida profissional como funcionária administrativa no centro de saúde de Pombal durante 42 anos. Após a aposentação dedicou-se a actividades que sempre a fascinaram, tais como a jardinagem, desenho e pintura.

Na área de desenho e pintura é autodidacta e iniciou-se em Fevereiro de 2020, mais ou menos pela altura do primeiro confinamento. A pesquisa no YouTube e no Pinterest influenciou os seus primeiros trabalhos em aguarela e em pintura acrílica.

Tal como na jardinagem, fascinam-lhe as cores vivas das plantas e a variedade de cores que se reflectem em todos os seus trabalhos de pintura. Espera ao longo do tempo aperfeiçoar as suas técnicas de pintura e vir a realizar-se.

Os trabalhos da artista estarão expostos entre 1 e 5 de Outubro, no Pavilhão de Actividades Económicas, no âmbito da iniciativa Conhecer Pombal à Boleia do Xeque-mate. No final deste evento, Lurdes Serrano vai premiar com trabalhos seus o vencedor do Open Internacional Marquês de Pombal e Carlos Oliveira Dias, considerado um dos melhores árbitros do mundo.

 

Pombal Jornal (PJ) – Quando foi que a pintura e artes plásticas começaram a despertar?

Lurdes Serrano (LS) – Desde cedo vi que tinha jeito para desenhar, mas nunca desenvolvi este meu lado criativo, porque a vida assim não o permitiu. Iniciei esta actividade em Março de 2020 aquando do primeiro confinamento por causa da pandemia do Covid-19.

 

PJ – Que técnicas mais usa para exprimir as suas criações?

LS – Primeiro comecei por restaurar móveis antigos, consultando as técnicas no YouTube. Depois passei a fazer pintura em aquarelas e seguidamente em acrílico, que é a técnica que mais gosto até ao momento, em virtude da minha actividade ainda ser muito curta. Mas tenho muita vontade de experimentar outras técnicas.

 

PJ – Quem mais a marcou na pintura?

LS ­– Ninguém especialmente. Gosto de tudo que tenha muita cor e que me diga algo, especialmente rostos e os trajes da população Africana e Oriental. Como costumo dizer: noutra vida devia ter nascido num país tropical, porque isso também se reflecte no meu jardim onde existe muita cor.

 

PJ – E os seus ídolos, quem são?

LS – Stèphanie Ledoux e Ewa Switala.

 

PJ – A sua pintura segue alguma técnica desses mentores? Ou optou pela originalidade?

LS – Mesmo que não queira, isso influencia-me e, por vezes, opto pela minha criatividade.

 

PJ – Xadrez vs Arte, casam bem?

LS – Claro que casam bem. Arte de comunicação, concentração e expressão.

 

PJ – A arte exprime o que nos vai na alma. Concorda com esta afirmação ou acrescentaria algo mais?

LS – Claro que concordo, não poderia estar mais de acordo. A arte exprime uma parte de nós e os nossos estados de alma, que transportamos para a tela.

 

PJ – Que pergunta gostaria de responder?

LS – Porque a pintura fala?

 

PJ – E de fazer?

LS – Desenvolver outras técnicas de pintura e melhorar cada vez mais esta minha nova actividade, que ainda é uma criança.

 

PJ – Qual o seu conselho a um jovem que deseja seguir a carreira na área da pintura nos dias de hoje?

LS – Que siga em frente e concretize sempre os seus objectivos, embora não seja fácil, nos dias de hoje, viver somente da arte. Por isso aconselho que tenha uma actividade profissional paralela a esta, porque corre o risco de se tornar um frustrado.

 

PJ – Actualmente, a arte é acarinhada na cidade de Pombal?

LS – Claro que sim, isso está bem patente nas exposições de trabalhos artísticos feitos pelas crianças das escolas e de outras associações e instituições, assim como dos espectáculos exibidos no Teatro Cine, Biblioteca Municipal e ao ar livre. Quero deixar um louvor à actual vereadora da Cultura pelo trabalho feito no nosso Município.

 

PJ – A sua definição de arte é?

LS – A arte é uma forma de expressão (ou seja, de um ideal de beleza). Uma obra de arte transmite uma ideia, um sentimento, uma crença ou uma emoção seja ela crítica ou transgressora.

 

PJ – “Conhecer Pombal à boleia de um xeque mate”, diz-lhe algo?

LS – Uma iniciativa de louvar e a dar continuidade.

 

PJ – Como descreve a “Oficina Criativa de Pombal”?

LS – Um local de motivação para muitos jovens e adultos desenvolverem a memória, a concentração, o planeamento e a capacidade de tomar decisões na divulgação do jogo do xadrez.

Parabéns ao Jorge por esta iniciativa brilhante, desejo que dê continuidade por muito tempo e com muito sucesso.