ARS Centro alerta para efeitos do calor na saúde

0
1891

Tendo em atenção o aumento das temperaturas previsto para os próximos dias, a Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, através do Departamento de Saúde Pública (DSP), emitiu um comunicado onde deixa um conjunto de recomendações para fazer face ao calor extremo que se deverá fazer sentir.
Além das medidas tomadas pelas várias instituições, é chamada a atenção para a necessidade de a população adoptar um conjunto de procedimentos que, mantendo o conforto térmico e uma correcta hidratação, previnam os efeitos do calor na saúde. Recomenda a ARS Centro que seja dada especial atenção às pessoas mais vulneráveis aos efeitos do calor, nomeadamente às crianças, pessoas com mais de 65 anos, aos portadores de doenças crónicas e a todos os que desenvolvem actividade no exterior com consequente exposição forçada ao sol e ao calor.

Para protecção dos efeitos negativos das altas temperaturas, devem ser tidas em conta as seguintes recomendações:
• Manutenção do corpo hidratado e fresco com ingestão de líquidos;
• Evitar a exposição solar, em especial entre as 11 e as 16 horas;
• Utilização de protector solar com factor superior a 30;
• Usar vestuário adequado: peças de roupa leves, de preferência de algodão, e de cor clara, dado que estas reflectem o calor e a luz solar e ajudam o corpo a manter as temperaturas normais;
• Usar chapéu e óculos de sol;
• Fazer um consumo responsável de bebidas alcoólicas;
• Redobrar os cuidados em viagem: evitar a permanência em viaturas expostas ao sol, particularmente de crianças e de idosos, sobretudo nos períodos de maior calor. Se não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas. Leve água suficiente ou sumos de fruta natural, sem adição de açúcar, para a viagem. Sempre que possível, viaje de noite.
• Reduzir as actividades ao ar livre, em especial as que exijam esforço físico intenso, tais como desportos, durante os períodos em que as temperaturas estão mais elevadas (entre as 11 e as 16 horas);
• Redobrar a atenção às crianças, idosos, doentes acamados e dependentes, oferecendo líquidos com frequência, como água e sumos naturais sem açúcar;
• Redobrar a segurança balnear, incluindo prevenção de afogamento, e não tomar banho ou consumir água, mesmo que para se refrescar, proveniente de fontanários ou lagos decorativos.
• Utilizar apenas água da rede pública ou água engarrafada;
• Seguir as recomendações do Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde sobre a utilização e conservação de medicamentos;
• Em caso de necessidade, ligar para o SNS 24: 808 24 24 24