“Explore Sicó” poderá ter “funcionamento inovador”

0
2154
CIMU Sicó
Susana Marques destacou a "multifuncionalidade" do empreendimento

A Câmara de Pombal está a apreciar o Plano Director e Estratégico para o Centro de Interpretação e Museológico da Serra de Sicó (CIMU Sicó) que está a edificar na aldeia dos Poios, na freguesia da Redinha, num investimento superior aos dois milhões de euros. O empreendimento, cujas obras estão suspensas há já algum tempo, “é um equipamento único no contexto da região Terras de Sicó, com localização privilegiada, de conveniência e com um modelo de funcionamento inovador”, consideram os autores do documento.
O Plano Director e Estratégico foi apresentado ao executivo municipal, na última reunião camarária, e prevê a redenominação do projecto para “Explore Sicó”, considerando que a palavra “explore” remete para o conceito de “exploração, descobrimento, aventura, mas também para procurar, investigar, prospectar”.
Segundo os autores do Plano – Susana Marques e Henrique Praça – o empreendimento é “único”, porque “diferencia-se dos seus mais próximos concorrentes pelos conteúdos imateriais (expositivos) e também na forma como estabelece relações com as comunidades do maciço de Sicó”, realçando, também, a sua localização: “situado numa paisagem protegida (Rede Natura 2000), com múltiplas potencialidades para turismo de natureza, isolada ainda que próxima de vias rodoviárias importantes”.
Por outro lado, propõem que apresente uma “multifuncionalidade com a componente hostel e de serviços associados”, dispondo, igualmente, de uma loja de conveniência e um ponto de lavagem de bicicletas.
Os técnicos apontam um modelo de funcionamento de “gestão pública participada por um concelho de comunidade”, enquanto o hostel deverá ter uma “gestão privada”, através de uma concessão.
Quanto às actividades a desenvolver, a equipa responsável prevê a “interpretação e gestão ambiental, de educação em ciência, turismo de natureza e de desporto de natureza”. “Com excepção das duas primeiras, as outras deverão ser desenvolvidas, maioritariamente, em parceria com entidades locais (empresas de actividades de turismo de natureza e de desporto de natureza)”, adiantam.
Segundo o presidente da Câmara Municipal, Diogo Mateus, aquela é uma “proposta ainda em bruto” resultado de um “trabalho que não está encerrado”.

Notícia publicada na edição nº 109, de 22 de Junho

Partilhar
Artigo anteriorTerras de Sicó tem 1,7 milhões para apoiar negócios
Próximo artigoEstão abertas as inscrições para a residência de estudantes
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal”, quinzenário com o qual deixou de colaborar no final de Maio de 2020.