Agricultores distribuem leite e fruta

0
715

Os agricultores do distrito estiveram na Câmara de Pombal a pedir intervenção da autarquia junto do Governo. Sector atravessa grandes dificuldades.

A União de Agricultores do Distrito de Leiria (UADL) garante que a “pequena agricultura familiar” existente no concelho de Pombal atravessa “dias difíceis”. A situação foi reportada à vereadora da Agricultura e Florestas, Catarina Silva, durante a deslocação de um grupo de representantes daquela associação à Câmara Municipal, na segunda-feira, dia 10. O presidente da direcção, António Ferraria, pediu ao executivo que seja “intermediário junto do Governo”, dando a conhecer os principais problemas do sector. O dirigente aponta o dedo aos elevados custos dos factores de produção, nomeadamente os adubos, rações, pesticidas, combustíveis e electricidade, sublinhando que “os mercados tradicionais estão enfraquecidos”. “A comercialização dos nossos produtos é difícil”, revela António Ferraria, que lamenta ainda que os mesmos sejam vendidos a “preços baixos” e que, mesmo assim, seja difícil escoá-los, devido à “concorrência das grandes superfícies”. O presidente da UADL mostra-se igualmente revoltado com a obrigatoriedade de registo dos agricultores nas Finanças, quando “muitos nem sabem ler”, afirma. No entanto, o incumprimento das obrigações fiscais impede a candidatura a fundos comunitários, o que tem afectado “o recebimento de ajudas”, revela o dirigente. “Muitos agricultores já não se estão a candidatar devido a terem de se colectar nas Finanças”, assegura. “A desertificação do mundo rural é uma realidade”, afirma António Ferraria que, perante esta realidade, deixa um apelo ao Governo para que canalize “apoios específicos para a agricultura familiar, valorizando os nossos produtos”. Além disso, o presidente da UADL apela aos governantes para que disponibilizem apoio técnico e informação sobre os programas que vão surgindo. Inconformados com a actual situação do sector, a associação tem agendada para amanhã, dia 21, uma acção em Porto de Mós, aproveitando o habitual mercado semanal, durante o qual vão distribuir pacotes de leite e sacos com fruta. Não está também colocada de parte a hipótese de levar a cabo a mesma iniciativa em Pombal.

[box] Os agricultores saem hoje, sexta-feira, à rua, durante o mercado semanal de Porto de Mós. Vão distribuir sacos de fruta e pacotes de leite para chamar a atenção para as graves dificuldades que o sector atravessa.[/box]

Leia mais na edição impressa.