Restaurante Vintage distinguido com menção honrosa na final do “Melhor Arroz de Portugal”

0
814

Foi uma “experiência enriquecedora” aquela que o Restaurante Vintage trouxe de Lisboa esta segunda-feira, dia 18, depois de ter disputado a final do concurso “Melhor Arroz de Portugal”. Com uma MENÇÃO HONROSA na bagagem, a chef e proprietária do conhecido restaurante pombalense fala orgulhosamente dos momentos de aprendizagem e partilha de saberesque fizeram deste um desafio “gratificante” e destaca, ainda, a forma calorosa como foi recebida nas diferentes etapas do concurso.

Para Margarida Tomás, a possibilidade de ver o trabalho, ao qual se dedica de corpo e alma, ser avaliado e reconhecido por um júri de excelência é algo que ultrapassa as fronteiras da conquista dos três primeiros lugares. “Foi fantástico”, afirma, de sorriso rasgado no rosto, o mesmo com que recebe, diariamente, cada um dos clientes.

Vintage1
A chef Margarida Tomás no momento em que recebeu a distinção honrosa
Recorde-se que no dia 14 deste mês o Restaurante Vintage trouxe para Pombal o primeiro lugar na semi-final deste concurso, disputada na Escola de Hotelaria e Turismo de Fátima.

Com um prato de Moqueca de Tamboril e Camarão com Arroz, Margarida Tomás conquistou o exigente júri da iniciativa, obtendo a melhor pontuação entre os restaurantes da Zona Centro do país. Apurados para a final ficaram também “O Zacarias”, de Viseu (segundo lugar), e o “Estrela da Mó”, de Coimbra (terceiro lugar).

Ao todo, as semi-finais foram disputadas por 20 restaurantes, repartidos por três regiões: Norte, Centro e Sul, num total de 1958 que se apresentaram a concurso.

Antes desta prova, e numa primeira fase, o Restaurante Vintage já tinha sido eleito o melhor do distrito de Leiria, entre os fãs da página de facebook “Melhor Arroz de Portugal”, o que lhe valeu o passaporte para a fase seguinte.

Mas, afinal, o que tem de especial este arroz? “O meu toque”, respondeMargarida Tomás. O resto, acrescenta com um sorriso, “é segredo da chef”.

No comando do Restaurante Vintage já lá vão cinco anos e há 11 no mundo da restauração, a jovem de 28 anos gosta de desafios e não se deixa intimidar pelos obstáculos. Prova disso está no reconhecimento que, dia-a-dia, lhe é dado pelos clientes. E é a eles que Margarida Tomás aproveita para endereçar um agradecimento especial por “acreditarem em mim”, ciente de que “nada disto teria sido possível” sem o apoio de todos eles. A empresária não esquece, também, a equipa de colaboradores que a acompanha, a quem agradece a dedicação colocada ao serviço da casa.

Ainda que o Restaurante Vintage seja hoje em dia já uma referência gastronómica no concelho e na região, Margarida Tomás acredita que a participação no concurso lhe poderá trazerainda “maior visibilidade”.

Na linha do horizonte, a chef espera continuara “proporcionar bons momentos aos clientes” e desafia todos aqueles que não conhecem a casa, a passarpor lá. À espera vão ter uma mesa com iguarias de excelência, mas também a simpatia de uma equipa que sabe recebercomo poucos.

NOTAS SOLTAS:

Margarida Tomás era a mais jovem chef a disputaro concurso.
À final chegaram nove restaurantes, representantes de três regiões do país: Norte, Centro e Sul.

Vintage
A boa-disposição de Margarida Tomás e Maria Fernanda, colaboradora do restaurante, na Academia de Sabores, onde foi disputada a final
Vintage4
Foi com Moqueca de Tamboril e Camarão com Arroz que o restaurante pombalense se apresentou a concurso