Xadrezistas levaram “Conhecer Pombal à boleia de um xeque-mate” à Queima das Fitas

0
366

O Open da Queima, em Coimbra, um dos torneios com mais tradição no meio xadrezistico, que este ano contou com a participação de 112 atletas de nove nações, entre os quais nove jogadores titulados. A prova realizou-se no hotel D. Luís, de 24 a 28 de Abril, no ritmo de 90+30, num total de sete rondas.
A equipa da Oficina Criativa Fabrikarts /JRSF, Lda esteve a bom nível, Jorge Barrento supera a meta dos 50% dos pontos e conquista 4,5 pontos em sete possíveis, acabando no 32.º lugar, em igualdade pontual com o 17.º da classificação final, passando a somar cerca de 4,80 pontos Elo FIDE.
Luís Parreira que chegou a liderar com 3 em 3, finalizou o Open com 4 em 7, tal como Octávio Gaspar que foi a surpresa da equipa, na sua primeira participação nestas andanças e ritmos. Joaquim Pereira também pontuou para a equipa com os seus 3 pontos em 7. Micael Gomes e David Chornyy terminaram a prova com 2,5 em 7, David que também fez a sua estreia neste ritmo, Clássicas, 90+30, deixou excelentes apontamentos a partir da 3.ª ronda.
Para terminar, a equipa da Oficina conquistou o 6.º lugar, mas a cereja no topo do bolo foi a “confirmação que o Open Internacional Marquês De Pombal passa a integrar o circuito nacional de clássicas da Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) 2019/2020”, revela Jorge Barrento, mentor do projecto em Pombal, que avança que a “cidade passa, assim, a representar o distrito de Leiria nesta prova rainha da FPX”. A prova dá início ao Campeonato Nacional de Xadrez, e tem data marcada entre 10 a 13 de Outubro.

Partilhar
Artigo anterior“PlayDay” desafia as crianças a brincar na rua
Próximo artigoRENDALÍSSIMA | Chega!
Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.