Vila Cã celebra gastronomia local com Confraria do Tortulho

0
2765

A ideia já não é nova, mas só agora o Centro Cultural e Recreativo de Vila Cã consegui dar vida à recém-criada Confraria do Tortulho. Para assinalar a ocasião, os confrades preparam o primeiro Capítulo da Confraria. Realiza-se a 19 de Agosto, na sede da colectividade, em Vila Cã

Os trajes da Confraria evidenciam “as cores verde e vermelha, em alusão ao sangue do carneiro e à hortelã farta dos tortulhos”

Seguindo as tradições e costumes, no próximo dia 19 de Agosto volta a ser celebrado o dia de S. Bartolomeu, Padroeiro de Vila Cã. De forma a aproveitar a ocasião, “e aludindo às raízes religiosas das Confrarias, a direcção do Centro Cultural e Recreativo de Vila Cã lançou o convite à Comissão da Igreja e este ano iremos em conjunto festejar o Primeiro Capítulo da Confraria do Tortulho de Vila Cã e o dia do Padroeiro S. Bartolomeu”, revela Liliana Silva, presidente da colectividade.
A criação da Confraria do Tortulho de Vila Cã “foi aprovada a 29 de Novembro de 2015, em assembleia geral de sócios do Centro Cultural e Recreativo de Vila Cã (CCR) e constitui um departamento desta associação”, esta era já uma “ideia antiga e que se começou finalmente a esboçar em finais de 2014”, afirma a responsável.
Com a criação da Confraria do Tortulho de Vila Cã, a colectividade tem como “objecto a preservação e divulgação do “Tortulho de Vila”, como produto secular da gastronomia local”, produzido artesanalmente a partir de “carnes de ovinos, cuja origem se associa à realização das bodas mas que se vem perpetuando em convívios familiares, associativos e em eventos gastronómicos”.
No âmbito das suas actividades, “caberá à Confraria a faculdade de preservar a autenticidade da cozinha local, através da sua divulgação e da elaboração de carta gastronómica”, explica Liliana Silva, “alicerçada na tradição, a Confraria procura contribuir para que a confecção artesanal do Tortulho de Vila Cã se perpetue, consolidando o saber-fazer deste elemento gastronómico de elevado valor etnográfico”. A Confraria tem ainda por objecto a valorização do Tortulho de Vila Cã, enquanto produto endógeno gerador de valia económica.
Os trajes da Confraria evidenciam “as cores verde e vermelha, em alusão ao sangue do carneiro e à hortelã farta dos tortulhos”, presentes no logótipo e coincidentes com as cores do brasão da freguesia. Afinal, é tudo pensado com o máximo detalhe, e não descurando os pormenores.

“Do Pinhal à Serra,
Vila Cã sempre produziu
carne da melhor qualidade
que alimenta tradições renovadas”

O Capítulo constitui o evento de “celebração máxima da actividade da Confraria”, realizando-se normalmente uma vez por ano, assim “o nosso I Capítulo irá realizar-se no Salão do Centro Cultural e Recreativo de Vila Cã e terá como Madrinha a Confraria do Bodo de Pombal e como Padroeiro S. Bartolomeu, o Padroeiro da nossa terra, Vila Cã”.
As comemorações terão início a 18 de Agosto, no Bar da Associação, onde será possível a degustação da gastronomia local durante todo o dia. No dia 19, às 15h, terá início a cerimónia capitular na sede da associação, “com a entronização dos Confrades, seguida de missa na Igreja Matriz e procissão em Honra de S. Bartolomeu, bênção da Confraria e desfile pelas principais ruas de Vila Cã”. Os festejos incluem momentos culturais, com enfoque na música tradicional local.
Para levar o projecto a bom porto, a Confraria do Tortulho de Vila Cã, apostou na prata da casa, e chamou as “gentes de Vila Cã, que melhor do que ninguém conhecem e defendem o que é nosso, genuíno”, para não deixar morrer a tradição, e que “com muita honra aceitaram o desafio de coordenar os destinos daquela que é a segunda confraria do nosso concelho”. Após a realização do I Capítulo, pretende-se estabelecer intercâmbios com Confederações e Confrarias Gastronómicas nacionais e estrangeiras.