Trail Running Pombal-Sicó desafia atletas a correr para ajudar bombeiros

0
1607

Um trail longo, um trail curto e uma caminhada são as vertentes desta prova, onde os atletas têm oportunidade de fazer desporto ao mesmo tempo que ajudam os Bombeiros Voluntários de Pombal. As inscrições encerram a 19 de Abril.

Carla Longo, Paulo Albano, Gina Domingues, Pedro Pimpão, a atleta pombalense Sofia Vieira e Sérgio Gomes apresentaram o 8.º Trail Running Pombal-Sicó

Centenas de atletas e caminheiros são esperados no Trail Running Pombal-Sicó que desafia os participantes a partirem à descoberta dos trilhos da Serra de Sicó, na manhã do próximo dia 23 de Abril. Co-organizada pelo município e os Bombeiros Voluntários de Pombal, a prova volta a associar desporto, natureza e solidariedade, num evento cujas receitas revertem na totalidade a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal (AHBVP). As inscrições podem ser feitas até 19 de Abril em lap2go.com.
À semelhança das edições anteriores, o evento conta com três modalidades distintas: o trail longo “Rosa Albardeira” (32 quilómetros com 1.300 metros de desnível acumulado positivo), o trail curto “Cidade de Pombal” (18 quilómetros com 615 metros de desnível acumulado positivo) e a “Caminhada da Serra à Cidade” (12 quilómetros).
Pelo segundo ano consecutivo, o Trail Running volta a atravessar a serra começando na Redinha e acabando em Pombal. Pelo meio passa por trilhos das freguesias de Redinha, Pelariga, Vila Cã e Pombal.
Os atletas serão transportados de autocarro até ao local de partida, que será na aldeia dos Poios para o trail longo, em Pousadas Vedras para o trail curto e na Aldeia do Vale para a caminhada. Já a meta será para todos os participantes no Jardim do Cardal, na cidade de Pombal.
“A intenção é que possamos dar a conhecer o máximo possível dos nossos trilhos, assim como adequar ao máximo o nível e as distâncias das provas ao nível dos atletas”, afirmou a vereadora Gina Domingues, convidando “todos a participar, seja a correr ou a caminhar”.
Afinal, trata-se de “uma prova solidária que reverte 100% a favor dos bombeiros”, sublinhou a responsável pelo pelouro do Desporto, convicta de que a solidariedade “já é motivo suficiente para participarmos”. “Mas um motivo tão ou mais interessante é vir conhecer ou revisitar os nossos trilhos da Serra de Sicó”, adiantou.
A oitava edição deste evento é apadrinhada, mais uma vez, por Luíz Mota, que “é uma pessoa carismática do trail a nível nacional”, e pela Sofia Vieira, que “é uma atleta da cidade de Pombal”, que se “estreou no nosso trail em 2019”, salientou o coordenador da prova.
Paulo Fernandes recordou ainda que “a primeira edição foi em 2015”, sendo que o Trail Running Pombal-Sicó foi crescendo “até 2019”, quando “atingimos o nosso máximo de participantes”. A pandemia interrompeu a prova e este crescimento.
Este ano o objectivo é repetir a participação de 2019. Paralelamente, a organização pretende “promover e desenvolver a prática do trail no concelho, potenciar a prática da modalidade por grupos informais já existentes, divulgar o território de Pombal, principalmente a Serra de Sicó, assim como promover estilos de vida saudáveis e sensibilizar para a conservação e preservação da natureza”, destacou o coordenador da prova, assinalando que “um dos nossos principais objectivos é apoiar os Bombeiros Voluntários de Pombal”.
Paulo Fernandes revelou ainda que “este ano a principal novidade é a alteração do percurso da caminhada, que vai sair da Aldeia do Vale e terminar no Jardim do Cardal”. Já o trail curto “mantém-se igual a 2022” e o trail longo tem poucas alterações no percurso.

RECEITAS DO TRAIL FINANCIAM EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO PARA BOMBEIROS
O dinheiro das inscrições reverte na sua totalidade a favor dos Bombeiros Voluntários de Pombal, designadamente para a aquisição de equipamento de protecção individual para os soldados da paz.
Este é um objectivo que se mantém ano após ano, tanto que “em 2019 adquirimos cerca de 100 equipamentos de protecção individual para combate a incêndios urbanos, num investimento de cerca de 60 mil euros”, sendo que “uma parte significativa desse valor foi suportado pelas receitas angariadas pelas edições do trail até então”, informou o presidente da direcção da AHBVP.
Portanto, “durante estes anos, o trail tem sido uma mais-valia do ponto de vista financeiro” para a Associação Humanitária, realçou Sérgio Gomes, reafirmando que “temos todo o prazer de fazer parte desta organização”, que “é sempre uma causa nobre”.
“Esta é das iniciativas mais importantes no nosso território, porque consegue conciliar desporto, solidariedade e natureza”, considerou o presidente da autarquia, destacando o apoio aos bombeiros, que “todos os dias do ano precisam do apoio da população”.
Por outro lado, “o retorno [desta prova] é as nossas aldeias serem mais valorizadas e conhecidas”, evidenciou Pedro Pimpão, convicto de que “este evento vai aumentar a atractividade do nosso território, porque vai fazer com que mais pessoas visitem o nosso concelho”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 6 de Abril