Ti Milha quer “dinamizar a região e mostrar o encanto que há na aldeia”

0
1149

Na quarta edição do evento, o Ti Milha regressa ao Parque de Merendas da Ilha entre 19 e 21 de Julho, desde a música mais alternativa, ao artesanato, a organização não esquece as tradições, a dança, o teatro e a promoção do que de melhor se faz na região. Para este ano, como não podia deixar de ser… há muitas novidades.


Entre 19 e 21 de Julho todos os caminhos vão dar ao Parque de Merendas da Ilha, na União de Freguesias de Freguesia de Guia, Ilha e Mata Mourisca, onde se realiza um dos eventos mais queridos dos jovens do concelho, o Ti Milha, que regressa para a quarta edição e traz com ele muitas novidades.
Para este ano a organização, a cargo da Associação Recreativa, Cultural e de Promoção Social (ARCUPS) promete manter a mesma animação que fascinou todos os que por lá passaram nas edições anteriores, e está prevista a actuação de bandas como Sequin, Farra Fanfarra, The Twist Connection, Chalo Correira, G Combo, Enes, Bananana e os DJ’s Nuno Rabino e Le Cirque du Freak. Sem esquecer o teatro, a dança, os workshops, e outras actividades de âmbito cultural e recreativo.
No entanto, a ARCUPS revela que está focada “em melhorar a experiência que as pessoas têm no festival, e isso passa pelo aumento da zona da restauração e dos pontos de venda, e pela melhoria das condições do recinto em termos de higiene”, por outro lado, “queremos apostar mais na decoração e no aproveitamento do parque de lazer da Ilha, porque é um espaço que valorizamos imenso por ser um espaço natural acolhedor e a que valorizamos imenso”, assume, enquanto explica que ao longo das outras edições sentiu-se a necessidade de encontrar uma solução para os festivaleiros que chegavam de fora, e nesse sentido, este ano “a maior novidade é a aposta no campismo”, uma vez que “no ano passado recebemos vários pedidos de pessoas de várias regiões do país, desde Lisboa a Castelo Branco”, por isso “este ano decidimos avançar com a criação de um espaço para o efeito”. O campismo é gratuito, tem electricidade, balneários e muita sombra. No entanto, a organização alerta os interessados para a necessidade de reserva do espaço, antecipadamente.

“Gostaríamos de continuar a crescer”

Na quarta edição do Ti Milha “o leque de workshops é bastante diversificado e, à semelhança da edição anterior, são praticamente todos gratuitos”, garante a ARCUPS. No sábado “teremos um workshop de serigrafia e de cosmética natural – ambos com inscrição paga devido aos custos do material envolvido na realização dos mesmos – e uma aula de kickboxing, esta gratuita e que mantemos do ano passado, devido à forte aderência que teve”. Já no domingo, os workshops são inteiramente gratuitos e onde há espaço para uma aula de pilates, um workshop de música para crianças e de danças tradicionais do mundo e uma oficina de introdução à expressão artística. As inscrições podem ser feitas, antecipadamente, “através de e-mail, telemóvel ou nas redes sociais por mensagem privada”.
A organização garante que tem sentido um crescimento gradual do evento, “sobretudo desde o ano passado”. E admite que “gostaríamos de continuar a crescer”, afinal, “qualquer festival tem essa ambição”, no entanto “é muito difícil saber até onde podemos chegar, o que conseguimos dizer com toda a certeza é que um dos nossos objectivos principais sempre foi a divulgação de cultura, sob todas as formas, e dar a conhecer a região e as pessoas”. Ou seja, “dinamizar a região e mostrar o encanto que há numa aldeia tão rica em carácter como a Ilha”, remata a ARCUPS.
Depois de mais uma campanha de crowdfunding bem-sucedida, em que o valor angariado foi superior ao que estava a ser solicitado, nota-se que existe um grande ‘carinho’ pelo projecto: “sentimos que temos o apoio das pessoas e da aldeia e esse carinho é bastante importante para nós, ajuda-nos a prosseguir na caminhada que é o Ti Milha”. Por agora, faz-se a contagem decrescente, o Ti Milha’19 está a chegar.

Partilhar
Artigo anteriorVia Atlântica volta a abrir circulação ao público
Próximo artigoTeatro Amador de Pombal estreia “9 Mulheres”
Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.