Situação de empresa construtora pode condicionar obras municipais

0
888

A empresa Alpeso – Construções S.A., à qual foram adjudicadas as obras de construção do Centro Escolar da Mata Mourisca, de remodelação do Mercado Municipal de Pombal e de remodelação e ampliação das instalações do Centro de Saúde de Pombal, encontra-se em situação financeira complicada, com registo de dívidas avultadas a vários fornecedores. Como forma de contornar a situação, deu entrada, no dia 7 de Abril, no Tribunal da Comarca de Santarém, o pedido para iniciar um Processo Especial de Revitalização, aguardando-se a publicação do correspondente despacho judicial.

Esta circunstância, nomeadamente pelo desagrado de alguns fornecedores, poderá levar a atrasos nas obras em causa, o que condicionará os prazos de execução. A situação mais complicada, em caso de atraso, será a obra do centro de saúde, uma vez que no âmbito do financiamento comunitário está sujeita a prazos apertados. Recordamos mesmo as palavras do presidente da câmara, a 27 de Maio do ano passado, em que deu conta que a obra teria de ser concluída até meados de 2015, sob pena de todos os custos serem suportados pela autarquia. “Terá de haver um rigoroso cumprimento desse mesmo prazo, uma vez que é fatal”, alertou Diogo Mateus.

Fonte da autarquia garantiu apenas que o vereador com o pelouro da gestão de obras públicas, Pedro Murtinho, se deslocou no final da semana às obras adjudicadas a esta empresa e verificou que todas decorrem normalmente, sem paragens, estando esta situação a ser acompanhada.

Um dos técnicos da Alpeso também deu conta que as obras continuam, afirmando que as questões administrativas e financeiras não estão a afectar o normal cumprimento dos prazos. Até ao momento, não foi possível contactar os responsáveis pela empresa.

ANA DE JESUS