SIDÓNIO SANTOS | “Pombal: Ilusão ou Realidade?

0
136

As eleições autárquicas em Pombal há uns anos a esta parte são consideradas como um mero pró-forma pelos eleitores pombalenses, pois a perpetuação no poder de um partido político (PSD) com maiorias absolutas sucessivas, a ausência de alternativas robustas que despertem o eleitorado para a necessidade de mudança, acaba por afastar as pessoas do direito de votar, o que justifica os 53,23% de abstenção registados nestas eleições autárquicas.
Em 100 pessoas, 53 não vão votar. Isto é um dado preocupante que só por si, não deveria permitir às candidaturas reclamar vitória. Todavia, há vencedores e vencidos:

VENCEDORES:
• Pedro Pimpão – Era mais do que expectável a vitória do político de profissão que anda permanentemente em campanha. Vamos aguardar pelo extraordinário trabalho que nos foi prometido.
• Gonçalo Ramos – Independente – Voltou a ganhar a UF Guia, Ilha e Mata Mourisca por 64 votos. O PS vai ter uma grande importância na estabilidade governativa.
• Paulo “Silas” – PS – Voltou a ganhar a Junta Freguesia da Redinha, por 48 votos. Esperamos que apresente mais obra neste mandato, se tiver aspirações a um 3º mandato.
• Luis Couto – Oeste Independentes – Um movimento político da periferia (Oeste) para o Centro (Pombal), elegendo 1 representante.
• Fábio Mota – Iniciativa liberal – Eleito como membro da AF Meirinhas. Bom trabalho de afirmação do projeto politico.
• Maria José Anastácio – PCP – Foi eleita para a UF de Santiago, S. Simão e Albergaria dos Doze. É um regresso do PCP aos órgãos autárquicos do Concelho.

VENCIDOS:
• Odete Alves – PS – Conseguiu eleger mais um vereador e mais 2 deputados municipais, mas como maior partido de oposição exigia-se mais.
• Liliana Silva – CDS-PP – Estratégia politica errada, perdendo a implantação territorial (passa de 12 eleitos, para 3) e não consegue eleger para a AM.
• Célia Cavalheiro – BE – Não consegue eleger para a AM e perde representatividade.
• CHEGA – Estranhamente foi a 3º força politica para a CMP(841 votos) com um candidato paraquedista, mas não elegeu para nenhum órgão.
Desejo as maiores felicidades a todos os eleitos e espero que trabalhem para melhorar o nosso Concelho, para que em 2025 os eleitores avaliem se foi uma ilusão ou uma realidade.

Sidónio Santos
Economista

*Artigo de opinião publicado na edição impressa de 30 de Setembro