Secretário de Estado Adjunto e da Saúde visita Centro Hospitalar de Leiria

0
402

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, visita esta quinta-feira, dia 22, o Centro Hospitalar de Leiria (CHL) para assinalar o Dia do Hospital de Santo André (HSA), em Leiria, refere uma nota enviada à imprensa pelo CHL.
A visita terá início às 10h00 “com as inaugurações formais da ampliação da Unidade de Ambulatório de Gastrenterologia e da ampliação da Unidade de Ambulatório de Pneumologia”, com a presença dos responsáveis do Grupo CAC – Companhia Avícola do Centro e do Grupo Lusiaves, “que apoiaram, respectivamente, cada um dos projectos das unidades.”

Segue-se, pelas 11h15, “a visita ao novo espaço de lazer junto à entrada principal do HSA, construído em homenagem aos colaboradores do CHL pelo trabalho realizado no contexto da pandemia por Covid-19.” Uma obra que pretende “assinalar e transmitir às gerações futuras o papel extraordinário que os profissionais do SNS, em especial os profissionais do CHL, tiveram na pandemia, e que seja demonstrativa das relações e interacções de complementaridade entre todos os profissionais, homenageando cada colaborador que contribuiu decisivamente para o esforço colectivo da instituição.”

Após esta visita terá início a cerimónia de celebração do Dia do Hospital de Santo André, a qual contará com a participação do presidente do Conselho de Administração do CHL, Licínio de Carvalho, do presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, e do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales.
De realçar que a ampliação da Unidade de Ambulatório de Gastrenterologia surge após o “aumento do número de consultas e exames efectuados” neste serviço, tendo originado a contratação de novos médicos e a aquisição de mais equipamentos. “A empreitada incluiu a criação de mais gabinetes médicos (de três passou para quatro), salas de exames (de quatro passou para seis) e uma sala de espera com maior capacidade, que passou dos 16 lugares sentados para 26, assim como o recobro, que tem agora 11 camas em vez de cinco”.

O projecto traduz um investimento de cerca de 310 mil e teve o apoio do Grupo CAC, em 120 mil euros, “para a empreitada e aquisição de equipamento de dissecção endoscópica da submucosa (ESD)”. Uma técnica inovadora que permite a “excisão de lesões tumorais do tubo digestivo”, pouco invasiva “e com menor necessidade de anestesia geral, menor risco de morbimortalidade, maior rapidez e menor tempo de internamento”, explica a mesma nota. Para além disso, a ESD permite “a excisão completa de cerca de 80 a 90% das lesões gástricas e 90% das lesões colorretais, e prevê-se o tratamento de cerca de 50 doentes por ano, quando a sua utilização estiver consolidada.”

Já a ampliação da Unidade de Ambulatório de Pneumologia, “permitiu o aumento do número de gabinetes médicos de dois para seis, os postos de hospital de dia de oito para 16, e os lugares sentados na sala de espera aumentaram de 16 para 40”. É referido, ainda, que o projecto pretende “reduzir os tempos de espera para a primeira consulta, por prioridade, e a percentagem de consultas realizadas dentro dos tempos máximos de resposta garantidos, estipulados para cada prioridade, bem como os tempos de espera para a realização de exames”. Este projecto teve um financiamento de cerca de 223 mil euros “e contou com o donativo de 150 mil euros do Grupo Lusiaves, que posteriormente realizou uma nova doação de 56 mil euros”.