Rally de Alitém: “os nossos troços são a Catedral da zona Centro”

0
334

A edição 2019 do Rally Alitém, que se realizou a 27 e 28 de Julho, volta a afirmar o evento como uma “prova de excelência”. Pela região de Alitém passaram 46 pilotos e milhares de aficionados da modalidade. Hélder Costa, da organização, admite que o evento “superou em muito as expectativas”.

Poucos dias antes da realização de mais uma edição do Rally de Alitém, a organização dizia, em tom de brincadeira, que “organizar um evento desta dimensão é uma loucura”. Agora, depois de dois dias cheios de adrenalina, que trouxeram mais de quatro dezenas de pilotos e vários milhares de aficionados da modalidade, Hélder Costa ainda brinca com a expressão. É “realmente uma grande loucura organizar um evento desta natureza com as condições que temos”, isto porque “sentimos cada vez mais a necessidade de profissionalizar o evento e de contar com o apoio de pessoas especializadas para que esta prova continue a crescer”, como é objectivo.
Hélder Costa destaca o papel “fundamental do grupo de voluntários que fez de tudo para que o Rally se realizasse nas melhores condições”, e foi isso que aconteceu: “sem eles nada disto era possível”. Nesse sentido, não poupa elogios aos cerca de 300 populares que “apesar das vidas pessoas e profissionais” ainda conseguiram dedicar uma grande parte do seu tempo na organização e apoio a esta prova, ressalvando, mais uma vez, a necessidade de elevar a prova a outros patamares.
A data também não agradava a nenhum dos organizadores, também voluntários. “Coincidir com a data do Bodo é muito mau”, em vários sentidos. “A cidade esgota a capacidade de alojamento para quem vem de fora, que acaba por ter que ir procurar alternativas fora do concelho”, os patrocinadores “também não estão tão disponíveis como estariam noutra altura do ano”, uma vez que “acabaram de investir para a realização das festas do Bodo e não têm capacidade financeira para investir em dois eventos tão próximos um do outro”, explica a organização, que denotou “um decréscimo no volume de patrocínios angariados”. No entanto, Hélder Costa ainda não consegue fazer um balanço financeiro do evento, porque, finalizada a prova, “aproveitámos para descansar uns dias”, mas “ainda durante esta semana vamos fazer uma reunião de balanço”.

“O Rally de Alitém superou, em muito, as expectativas”

Para o organizador, não há dúvidas de que “o Rally de Alitém superou, em muito, as expectativas”, e conta que, “no primeiro dia da prova, todas as associações envolvidas na realização do Rally esgotaram os produtos que tinham para comercializar e tiveram que ir abastecer-se no domingo de manhã”. “Foi uma loucura”.
Para a organização, que conta com os apoios do Município de Pombal, da União de Freguesias de São Simão de Litém, Santiago de Litém e Albergaria dos Doze, da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal e da Penela Race Events, a realização da prova por terras de Alitém é, cada vez mais, um factor de atractividade turística que traz dinâmica à União das Freguesias, e ao próprio concelho, uma vez que movimenta a economia local. Hélder Costa revela que todas as unidades de turismo rural, alojamento local, hotéis e pensões da região atingiram a lotação máxima, “não apenas durante o fim-de-semana da prova”, mas também “nas semanas que antecederam o evento”, uma vez que os “pilotos e as equipas já estavam na região para se preparar da melhor forma possível”.
Também nas ruas, nos cafés, restaurantes e no comércio se notou a afluência de pessoas à região de Alitém e ao concelho. Para o organizador, “seria interessante fazer um levantamento do impacto económico que a realização do Rally tem a nível local, e até mesmo do concelho, porque se olharmos bem esta prova traz muito movimento não só à freguesia, como também a Pombal e à região”.
Esta afluência de aficionados da modalidade e de pilotos em prova não é apenas uma coincidência. É, antes, “fruto de todo o trabalho de divulgação que os voluntários levaram a cabo”, uma vez que se descolaram a vários pontos do país, e a outras provas da modalidade, com o objectivo de “divulgar a prova”.
Apesar do trabalho de divulgação ter sido um dos factores que influenciaram o sucesso da prova, há ainda outra justificação para o sucedido: “a qualidade e singularidade dos troços, únicos na região centro”. O organizador revela ainda que a “nível nacional, no que toca a provas de cariz regional, o Rally de Alitém contou com o maior número de participantes”, sendo que a segunda prova mais concorrida “contou com menos 15 carros”, o que demonstra que “os nossos troços são a Catedral da zona Centro”, remata.
O responsável pela organização espera que o empenho colocado pelas várias entidades resulte na “integração do Campeonato Centro de Ralis no próximo ano”, até porque “não há razões para que isso não aconteça”. Afinal, “reunimos todas as condições para que isso aconteça”. Relembre-se que à semelhança do ano passado, a competição é pautada por um forte cariz solidário, uma vez que as receitas revertem, na totalidade, a favor dos bombeiros locais.

__

Maior afluência de participantes da região centro

Segundo Hélder Costa, da organização, a prova contou uma forte afluência. Durante os dois dias de Rally, participaram 46 automóveis, com mais 15 concorrentes que a segunda maior prova do campeonato regional, a nível nacional. Para a organização este feito deve-se fundamentalmente às características e especificações dos troços em terra batida, “únicos na região centro”.
No final do Rally de Alitém foi a dupla Fernando Peres e Ricardo Caldeira a subir ao lugar mais alto do pódio, ao volante de um Mitsubishi Evo IX.  A equipa de Fernando Teotónio e Luís Morgadinho foi a segunda classificada e em terceiro lugar destaca-se a dupla Daniel Ferreira e Rodrigo Pinheiro.