PS de Pombal defende alteração ao projecto do Jardim da Várzea

0
730

O PS de Pombal defende a “alteração do projecto” de requalificação do Jardim da Várzea por considerar que este deve “respeitar a história e identidade” daquele espaço localizado na cidade de Pombal, mas também a vontade dos pombalenses, que vai no mesmo sentido. Por isso, a vereadora socialista, Odete Alves, votou contra o projecto.
Na reunião da Câmara de Pombal do passado dia 24 de Abril, o PS de Pombal votou contra o projecto da requalificação do Jardim da Várzea, na cidade de Pombal, porque “discordava das opções urbanísticas, antecipando já que aquelas opções não seriam do agrado dos pombalenses”, por “descaracterizarem o espaço” e “não respeitarem a sua identidade”.

Essas foram também as razões que motivaram o partido a lançar um inquérito à população acerca da requalificação, o qual registou uma “adesão extraordinária”, reveladora “não só da importância do assunto, mas também do interesse e estupefacção de muitos perante este ‘apagar’ da memória de um espaço identitário da cidade de Pombal”.
No total foram 131 as pessoas que responderam ao inquérito, realizado online entre os dias 29 de Abril e 6 de Maio. Destas, 118 residem no concelho e os restantes 13 fora do território pombalense.
Já os resultados mostram que, do total dos inquiridos, apenas 27 não conheciam o novo projecto para o Jardim da Várzea e, “das que conheciam, 87,5% manifestaram-se insatisfeitas com o projecto”.
Por outro lado, “é óbvia a preferência dos respondentes por elementos relacionados com árvores, espaços verdes, relva, bancos e mesas de jardim”. Por sua vez, “chão em cimento e calçadas são claramente rejeitados pela maioria das pessoas”, sendo que “cerca de 72% dos inquiridos não concorda com a aplicação de calçadas em granito nas zonas de circulação rodoviária” e quase 60% não concorda com a abertura desta rua ao trânsito.
Outra das conclusões deste inquérito é o descontentamento de 84% dos inquiridos quanto à forma como a Câmara de Pombal tem requalificado os espaços públicos da cidade. A insatisfação (mais de 80%) estende-se também à forma como a autarquia tem envolvido a população nas tomadas de decisão sobre as obras mais importantes na cidade.
A necessidade de alteração do projecto é ainda evidenciada em dois pareceres relativos à proposta de requalificação, os quais foram elaborados pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto e a Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas.
Estes pareceres comprovam que “o voto contra aquela solução se impunha”, mas também que “os pombalenses estão certos nas suas opiniões contrárias à solução”. Assim, sai reforçada a “necessidade de alteração do projecto, respeitando a sua história e identidade, bem como a vontade dos pombalenses”.
As conclusões retiradas dos resultados do inquérito e dos dois pareceres foram apresentadas pela vereadora socialista, Odete Alves, nas reuniões camarárias de 22 de Maio e 5 de Junho. Na altura, Odete Alves reafirmou a necessidade de alteração do projecto e a sua apresentação e discussão pública. Por sua vez, o presidente da Câmara assumiu o “compromisso da sua alteração com base nos vários contributos já recebidos”, bem como na sua apresentação pública e votação em reunião de câmara extraordinária agendada para o próximo dia 30 de Junho.
Em suma, “o PS de Pombal reafirma o compromisso de lutar pela defesa deste espaço identitário da cidade”.