Presidente da autarquia pede mais turmas para escolas com contrato de associação

0
591

O presidente da autarquia apelou à “sensibilidade” do ministro da Educação no sentido de serem atribuídas, no próximo ano lectivo, “mais turmas de início de ciclo” para os estabelecimentos de ensino com contratos de associação do concelho de Pombal. O ministro disse que essa possibilidade vai ser avaliada no próximo ano lectivo.
“Queria sensibilizar Vossa Exª [ministro da Educação] para uma oferta essencial que existe no nosso vasto concelho e que é disponibilizada pelos estabelecimentos de ensino com contratos de associação no Louriçal, nas Meirinhas ou em Albergaria dos Doze, três territórios afastados do centro da cidade de Pombal que albergam milhares de habitantes com projectos pedagógicos reconhecidos e com forte impacto no seio das comunidades envolventes”, afirmou Pedro Pimpão durante a cerimónia de inauguração do novo Centro Escolar da Pelariga.
“O valor e o trabalho meritório que estas instituições assumem no nosso território e a avaliação muito positiva destes estabelecimentos de ensino”, “leva-nos a apelar à sensibilidade do Ministério da Educação e do senhor Ministro, em particular, para que, tal como já acontece em concelhos vizinhos, que também aqui seja reconhecida a mais-valia destas instituições no acesso à educação e possam ser atribuídas, no próximo ano lectivo, mais turmas de início de ciclo a estes estabelecimentos de ensino com contratos de associação”.
Em declarações ao Pombal Jornal, o ministro da Educação disse que tomou “boa nota do recado do presidente da Câmara” e, para o próximo ano lectivo, “vamos avaliar o que se passa em Pombal para tomarmos as decisões na definição da rede”.
Afinal, “Pombal tem vindo a aumentar o número de alunos inscritos”, à semelhança de muitas outras regiões do país, devido à “entrada de alunos estrangeiros em Portugal”, reconheceu.
João Costa explicou ainda que o Ministério da Educação faz essa “avaliação anualmente, em função da previsão de número de alunos inscritos”. “Por exemplo, este ano em Leiria aumentámos o número de turmas com contrato de associação, porque a rede pública já não era suficiente”, esclareceu o governante, apontando “Pombal [como] um exemplo de sucesso muito grande no processo de descentralização” de competências ao nível da educação.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição de 14 de Setembro