Pombalense cria associação que aposta na formação jovem em Moçambique

0
5713

Quando Carla Domingues largou um emprego estável, em Pombal, tinha como objectivo passar algum tempo a fazer voluntariado com as populações mais carenciadas da Zambia. Quis o destino que depois do trabalho que desenvolveu neste país, fosse colocada em Moçambique, noutro projecto de voluntariado, desta vez focado nas carências nutricionais da população da província de Niassa, distrito de Lichinga.

Apesar de toda a formação que teve em Inglaterra, antes de “ir para o terreno”, o choque com a realidade local foi grande, e com o passar do tempo começou a sentir necessidade de “fazer mais alguma coisa” por estas pessoas. A viver há alguns anos em Lichinga, esta engenheira pombalense com vasta experiencia na área do voluntariado, decidiu criar uma associação que pretende “fazer um acompanhamento mais directo e focado nas pessoas”, já que começava a aperceber-se de que “as grandes organizações acabam por ter algumas lacunas”, e “perde-se muito dinheiro, porque envolve muitas instituições e muitas pessoas”. Assim, na associação que recentemente formalizou, a Mozvision, com o apoio “de outros voluntários e de muitos amigos”, o apoio “será dado directamente às pessoas”.

“A criação da Mozvision foi motivada por uma visão de que todo o ser humano tem direito a uma educação adequada, alimento básico e a uma vida digna”. A associação foi criada em Julho de 2017 por um grupo de amigos “abraçados a esta luta”, sendo que alguns deles, “passaram anos como voluntários em vários países da África e viram a grande quantidade de desigualdade” e miséria. “Somos impulsionados pela fé de que juntos somos capazes de mudar o mundo e fazer a diferença”, adianta Carla Domingues, “seguimos os nossos princípios e acreditamos que podemos, certamente, ganhar a batalha contra a desigualdade, a miséria e o analfabetismo”.

Inicialmente a instituição pretende estabelecer um programa de apoio a “órfãos e crianças vulneráveis, menores de 12 anos, assim como a crianças desnutridas”, e irá fornecer “apoio material e monetário”, sendo que o “suporte monetário pode passar pelo pagamento das taxas escolares, despesas de tratamentos médicos, ou apoio logístico”, mas em “nenhuma circunstância o dinheiro é entregue directamente aos indivíduos”. A nível material, a Mozvision pretende “fornecer materiais escolares, cobertores, roupas, alimentos básicos, ferramentas agrícolas, ou vitaminas”.

Mas para esta pombalense existe outro objectivo primordial, que passa “pela aposta na formação dos jovens”, proporcionando-lhes “treinamentos, debates e lições para melhorar os rendimentos das famílias, capacidades agrícolas, bem como compartilhar informações sobre prevenção de doenças, ambiente e alimentação saudável, higiene, planeamento familiar”.

“Acreditamos que podemos ganhar a batalha contra a desigualdade, a miséria e o analfabetismo”

Para arrancar com o projecto a associação Mozvision, na pessoa dos seus implementadores no terreno, e de outras pessoas ligadas ao projecto, vão começar por vender objectos de artesanato moçambicano, ou peças executadas com os tecidos característicos da região. Para além disso a associação aceita donativos, e nesse caso, os “doadores que fornecerem apoio monetário vão receber relatórios de três meses e um relatório anual, com descrição das actividades e o enquadramento financeiro detalhado”.

O programa dependerá em grande parte dos doadores, uma vez que “a maior parte da renda virá de angariação de fundos”. Um patrocínio especificado também será implementado o que torna possível “apadrinhar uma criança e acompanhar a sua educação ou melhoria da saúde”.

No futuro, Carla Domingues sonha com a “criação de um lar de acolhimento”, para receber crianças vulneráveis. O sítio já está ‘debaixo de olho’: um antigo orfanato abandonado, que “depois de reconstruído vai ter todas as condições para receber os mais pequenos”, e até pode vir a receber outras valências da associação, como um centro de formação. Para mais informações sobre o projecto basta aceder à página https://www.mozvisionassociation.com ou em www.facebook.com/MozVisionAssociation.

Partilhar
Artigo anteriorColisão seguida de capotamento faz 6 feridos no IC2
Próximo artigoRENDALÍSSIMA | 8 formas de usar calções
Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.