Pombal baixa no índice de transparência municipal

0
1361

O Município de Pombal baixou 11 posições no Índice de Transparência Municipal (ITM), ocupando agora a 17ª posição no ranking dos 308 municípios, com uma pontuação de 79,12 pontos (numa escala de 0 a 100 pontos). Em 2016, o município ocupava o 6º lugar do ranking com uma pontuação de 97,115 pontos.
O ITM foi criado para se tornar uma ferramenta de capacitação dos cidadãos, promovendo um maior envolvimento na vida autárquica e uma melhoria da qualidade da democracia local. Desenvolvido pela Transparência e Integridade, Associação Cívica (TIAC) e os seus parceiros, o ITM é publicado desde 2013, relatando anualmente o grau de informação que o Poder Local disponibiliza a todos os cidadãos.
O ITM avalia o seu nível de transparência: “Faculdade de tornar públicos todos os actos do governo e dos seus representantes para providenciar a sociedade civil com informação relevante de forma completa, atempada, e de fácil acesso”.
A elaboração do Índice de Transparência Municipal consiste na análise dos websites de todos os municípios portugueses, avaliando a informação disponível de acordo com 76 indicadores – agrupados em sete dimensões – e estabelecendo um ranking com os resultados obtidos.
De acordo com o ITM, relativo a 2017, o Município de Pombal obteve a maior pontuação (100) na dimensão “Transparência Económico-Financeira”, e 92,86 na “Relação com a Sociedade” bem como na “ Impostos, Taxas, Tarifas, Preços e Regulamentos”. Com 71,43 encontram-se as dimensões: “Informação sobre a Organização, Composição Social e Funcionamento do Município”, “Contratação Pública” e “Transparência na área do Urbanismo”. A pior pontuação (64,29) foi atribuída à dimensão “Planos e Relatórios”.

Partilhar
Artigo anteriorCâmara imputa atrasos com Casa Varela a empreiteiro
Próximo artigoPresidentes de Junta preocupados com serviços de saúde
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal”, quinzenário com o qual deixou de colaborar no final de Maio de 2020.