Onze detidos em Pombal por suspeita de lenocínio e tráfico de droga

0
682

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve na madrugada deste domingo, 21 de Fevereiro, onze pessoas, de nacionalidade portuguesa e brasileira, com idades entre os 19 e os 43 anos, por suspeitas da prática de crimes de lenocínio e tráfico de estupefacientes. A operação ocorreu na zona Norte do concelho de Pombal e deu cumprimento a 14 mandados de busca e cinco mandados de detenção.

Na mesma operação foram ainda apreendidas três armas de fogo e munições, várias quantidades de drogas diversas, um veículo automóvel, nove balanças digitais, 15 telemóveis e diversos objectos relacionados com práticas de actos sexuais, para além de 2.400 euros em dinheiro.

De acordo com Henrique Faria, comandante do Destacamento Territorial de Pombal da GNR, aquelas detenções culminam uma investigação iniciada há cerca de dois anos, com uma “denúncia de lenocínio” enviada aos serviços do Ministério Público.

A investigação revelou que aquele crime era praticado numa moradia adaptada a estabelecimento de diversão nocturna. O local era frequentado por clientes do sexo masculino que efectuavam contactos no rés-do-chão do estabelecimento, passando depois para o piso superior para se encontrarem com as mulheres.

No decorrer da operação, a GNR detectou três homens “em flagrante”. Para além daquele estabelecimento de diversão nocturna, a mesma força de segurança realizou buscas noutros dois, situados igualmente em Pombal, alegadamente relacionados ao “crime de tráfico de estupefacientes”.

O comandante do Destacamento Territorial esclarece que, dos onze detidos, dois irmãos de nacionalidade estrangeira estarão indiciados do crime de lenocínio, enquanto os restantes estarão ligados aos crimes de tráficos de estupefacientes e de posse ilegal de armas.

A operação envolveu mais de 170 elementos dos comandos territoriais de Leiria, Santarém, Aveiro, Coimbra e Unidade de Intervenção de Lisboa.

Orlando Cardoso

Mais desenvolvimentos na próxima edição impressa, 3 de Março de 2016.