O Tamanco Camping: um paraíso escondido aqui ao lado

0
3622

Depois de ter sido fortemente afectado pela tempestade Leslie, de vários meses de reconstrução, que envolveram dezenas de voluntários vindos de vários pontos do planeta, o parque de campismo O Tamanco, localizado em Casas Brancas, freguesia do Carriço, voltou a abrir portas a 1 de Abril.


Irene Van Hoek não vai esquecer tão depressa o susto que apanhou na noite de 22 de Setembro, do ano passado, quando sentiu a ira do furacão Leslie a entrar pelo parque de campismo O Tamanco a dentro, sem pedir licença. Depois da sua passagem, que deixou um rasto de destruição um pouco por todo o concelho, a proprietária do espaço deparou-se com um “cenário catastrófico”, onde “cerca de 150 árvores ficaram totalmente destruídas e parte das infra-estruturas sofreu danos muito graves”, revela.
A catástrofe “fez com que ponderássemos o futuro do parque, os danos foram enormes e não sabíamos muito bem o que fazer ou por onde começar”, no entanto, para Irene Van Hoek e Hans de Jons, casal de proprietários, desistir e encerrar o parque estava fora de questão e decidiram lançar um apelo a amigos, conhecidos e viajantes, no sentido de “ajudarem no processo de recuperação do espaço” e foi isso que aconteceu: o alerta foi lançado e recebido com sucesso por “dezenas de pessoas, vindas de vários cantos do mundo que se disponibilizaram” em ajudar no processo de renovação d’O Tamanco.
Desta forma, “recebemos muitos amigos, pessoas que já tinham passado pelo parque em diferentes momentos, e de outros que tiveram conhecimento da nossa situação na altura”, numa espécie de “parceria”, em que o casal disponibilizou alojamento e alimentação, em troca de trabalhos de regeneração do espaço.
Numa lógica de sustentabilidade, pelo qual o casal holandês a viver no concelho “há cerca de 20 anos” tanto preza, as árvores que anteriormente forneciam sombra aos transeuntes, e que foram destruídas pela passagem do furação Leslie, deram origem a várias peças que se espalham pelo parque de campismo: “temos cadeiras que mandámos fazer com a madeira das árvores caídas, baloiços para os mais novos, aproveitámos os galhos para criar cercas, espalhamos troncos por diversas zonas para servirem de bancos”, outra parte da madeira foi transformada em tábuas e até os restos de folhagens foi aproveitado para a compostagem.
Irene Van Hoek admite que os “prejuízos são incalculáveis”, mas agora interessa olhar para o “futuro com uma perspectiva mais ampla” e esperar que a tragédia “dos ventos e dos incêndios não volte a atacar esta região”. Quanto aos voluntários, o casal admite que “a solidariedade e amizade que sentimos naquela altura não tem preço, e só mostra o quanto o nosso espaço é apreciado e acarinhado por quem nos visita”.

Espaço encantador

Só quem entra sabe o que se passa lá dentro, e podemos garantir que o espaço é encantador, não tivesse já sido “referido em várias publicações internacionais, como os jornais britânicos The Times ou The Guardian, como um dos melhores parques de campismo da Europa para passar férias”, conta a proprietária orgulhosa.
Por ali, tudo foi pensado ao pormenor e, novamente, com um sentido de sustentabilidade e de preocupações ambientais, “tentamos encontrar alternativas amigas do ambiente para necessidades que vamos sentido”, ou alternativas diferentes, como é o caso do Tubismo, dos yurts, do Artist Shack, ou das cozinhas ao ar livre.
E se passasse a noite num tubo, ou se quisermos ser mais específicos, dentro de uma manilha de betão, “com cerca de nove toneladas, cada”? Esta é uma das propostas do Tamanco Tubismo, situado num parque de campismo em Casas Brancas, na freguesia do Carriço, a 12 quilómetros da praia do Osso da Baleia. Estes tubos reconvertidos estão escondidos dentro da vegetação e, lá dentro, estão divididos em duas áreas — na parte de cima é a cama, na parte debaixo a zona de arrumação. Além dos tubos, que têm quatro metros quadrados de área, os hóspedes podem usufruir de um bar, piscina exterior, restaurante e cozinha equipada. Todos os espaços exteriores foram, também, pensados numa lógica de diferenciação, e que prometem marcar os visitantes de uma forma única. Há uma horta, uma quinta com animais, uma loja de produtos vintage, e um espaço reservado a residências artísticas, por onde já passaram “muitos artistas vindos de todo o mundo”, realça Irene Van Hoek.

NOTA: A notícia publicada na edição impressa do Pombal Jornal número 157, de 23 de Maio de 2019, refere que o parque de campismo O Tamanco está localizado em Casas Brancas, freguesia do Louriçal, no entanto a localidade pertence à freguesia do Carriço.