“O grande desafio é reforçar Pombal fora de Pombal”

0
482

“Reforçar Pombal fora de Pombal” é “o grande desafio” da nova Comissão Política Concelhia do PSD. Quem o diz é Humberto Lopes, que assumiu recentemente a presidência daquela estrutura partidária, sucedendo a Pedro Pimpão.
“Pretendemos ter mais peso nas decisões que são tidas nos órgãos distritais e nacionais do PSD, não apenas porque sim, mas porque entendemos de toda a justiça que um concelho que continua a dar vitórias consecutivas em todas as eleições ao partido, deve ver reconhecido o trabalho dos seus militantes e simpatizantes a nível distrital e a nível nacional”, defende Humberto Lopes.
Mas o novo líder dos sociais-democratas sabe que, “com as regras actuais”, isso só será possível “se tivermos mais militantes com as cotas em dia”. Por isso, assume desde logo o objectivo de “conquistar mais militantes para este projecto de afirmação de um concelho, que tem muitas potencialidades ainda por explorar”.
No entanto, a renovação geracional é vista como “um processo natural” para continuar a assegurar “uma JSD forte”, que se mantém empenhada em “captar talentos para uma causa nobre que é a política”. Daí, a “forte ligação às nossas escolas e aos nossos jovens”.
Mas atenção: “todos têm valor e todos contam para a equipa”, frisa Humberto Lopes, convicto de que o partido “só ganha se souber aproveitar as competências e o saber de cada um dos seus elementos, num processo de aprendizagem conjunto”.
E “ninguém tem dúvidas que o PSD de Pombal tem excelentes quadros políticos” com provas dadas “em diversas áreas e reconhecidos profissionalmente pela sociedade”. Logo, é preciso colocar “esse saber ao serviço” dos “diversos órgãos onde estamos representados”, de forma a continuar a “promover o equilíbrio geracional nas suas equipas, aproveitando a experiência e o saber dos elementos mais velhos, a que se junta as ideias e a irreverência dos mais novos”.
Só assim é possível “continuar a afirmar o PSD como a principal força política no nosso concelho, começando nas nossas freguesias, onde pretendemos continuar a trabalhar de uma forma séria e honesta para ajudar os eleitos locais do PSD a concretizar os seus projectos, quer nas freguesias onde somos poder, mas também naquelas onde ainda não somos”.

Humberto Lopes (à direita) acompanhado de José Gomes Fernandes, presidente da Mesa da Assembleia Concelhia do PSD

Não menos importante é “dar suporte e a ajudar o executivo da Câmara Municipal a realizar o seu programa eleitoral”, o qual “foi escolhido pelos pombalenses nas últimas eleições autárquicas”, sublinhou o líder da concelhia, destacando ainda “a responsabilidade de pensar o futuro dos nossos territórios e lançar desafios aos intervenientes políticos nas suas diversas áreas de acção, promovendo também acções de formação que ajudem a capacitar e a suportar as suas decisões”.
Esta opção vem no seguimento do caminho já trilhado pelo PSD de Pombal, que “sempre esteve na linha da frente na discussão do futuro do nosso concelho e das nossas freguesias”, “sem medo de pensar e sem medo de apresentar as nossas ideias” para “ajudar a desenvolver os nossos territórios e a melhorar as suas condições de vida” em áreas estruturais.
E no concelho essas áreas estruturais são a saúde, “a baixa natalidade” e o “modelo de desenvolvimento das nossas freguesias”, apontou Humberto Lopes, certo de que “o desenvolvimento concelhio deve ser feito também com as pessoas que habitam os territórios”, pelo que “iremos procurar ouvir as suas ideias” e acolher contributos “das empresas e entidades que geram emprego [e] são fundamentais para fixar pessoas”.
Nesse sentido, o PSD de Pombal vai continuar a promover a realização de fóruns de debate, abertos a toda a comunidade, para “discutir o futuro do concelho, na agenda que chamamos Pombal 2030”.
Independentemente disso, destaca “a aposta no ensino profissional e no ensino superior”, com vista a aumentar os níveis salariais dos pombalenses. Por outro lado, pretendem “influenciar positivamente também as decisões a nível distrital e nacional a favor do concelho de Pombal, no que diz respeito a investimento público”. Já no que toca às freguesias, “iremos continuar a ajudar os nossos autarcas a desenvolver ferramentas de gestão territorial, com inovação, que permitam concretizar os seus compromissos eleitorais”, adiantou, constatando que “as nossas freguesias têm capacidade e potencialidades para continuar a ser pólos de atracção de investimento e de fixação de pessoas, contribuindo assim para o desenvolvimento de todo o concelho de Pombal, de uma forma equilibrada e sustentável”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 13 de Outubro