Com 100 anos, Maria Pereira ainda gosta de uma valente risada, de contar as histórias de antigamente, ou visitar a casa, em Águas Belas, na União das Freguesias da Guia, Ilha e Mata Mourisca. Diz que não há segredos para chegar a esta idade com esta disposição, mas avança que um “copinho de vinho de vez em quando faz sempre bem”.

O clima não podia ser mais alegre e descontraído: uma família reunida para celebrar a vida, a vida longa de Maria Pereira, que a 4 de Abril celebrou 100 anos. No meio de irmão, sobrinhos, afilhados e amigos, a única coisa difícil de acreditar era mesmo o número escrito nas velas: 100. Com uma energia contagiante, uma boa-disposição inabalável, e com um sorriso rasgado, a jovem centenária, foi o centro das atenções de um almoço onde se sentia tanto de amor, como de orgulho.
“Foi um ano de boas colheitas” diz uma das sobrinhas em tom de brincadeira, “é como o Azeite Gallo, a cantar desde 1919”, e a família reage com uma gargalhada comum. “Apesar do facto de ter 100 anos, e de tudo o que isso possa acarretar, continua a ser uma pessoa muito saudável”, afiança a família. No alto de um século de vida, “o coração já se vai sentido mais fraco, e as pernas já não têm a força que tinham”, releva Maria Pereira, mas diz logo de seguida que se “sente muito bom”, e sem conseguir arranjar uma explicação para esta longevidade, assegura que “sempre tive uma boa alimentação, e nunca dispensei um copinho de vinho à refeição”.
Sem filhos, e viúva de dois casamentos, “aos 90 anos ainda tratava, praticamente sozinha, do falecido marido”, conta o irmão orgulhoso. Já a aniversariante relembra, “casei pela primeira vez a 6 de Outubro de 1957, e pela segunda vez a 10 de Junho de 1988”, não deixa descendentes directos, mas assegura que tem “uma família muito unida e muito próxima”, sempre presente quando é necessário, seja para celebrar a vida ou para ajudar nos momentos mais difíceis.
E se muitas vezes a memória começa a pregar partidas, no caso de Maria Pereira, nascida na localidade de Mendes, na freguesia de Pombal, as vivências do passado continuam intactas. “A vida era muito diferente daquilo que é hoje”, explica, “havia mais dificuldades, o trabalho era duro e faziam-se muitos sacrifícios”, ainda assim, relembra com nostalgia o tempo das “vindimas, da apanha da azeitona” e da labuta nos campos agrícolas.
Ao que parece, Maria Pereira, para além da boa disposição, sempre teve uma queda especial para a cozinha, e já na altura em que se dedicava aos trabalhos agrícolas, “ficava sempre responsável pela confecção das refeições”, e tinha sob a sua responsabilidade a alimentação de “mais de 30 pessoas”, diariamente.
Se a maior parte da sua vida foi passada no concelho de Pombal, inicialmente nos Mendes, e depois de casada no lugar de Águas Belas, na União das Freguesias da Guia, Ilha e Mata Mourisca, actualmente a aniversariante vive na zona de Lisboa, com o irmão, mas não dispensa uma visita à sua “casinha”, pelo menos uma vez por mês.

Partilhar
Artigo anteriorRENDALÍSSIMA | WEDDING SEASON
Próximo artigoPombalenses solidários com povo da Beira
Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.