Mais de 1600 hectares já arderam no concelho de Pombal

0
971
A localidade de Zambujais, em Abiul, foi das mais atingidas pelas chamas. Esta manhã era visível o rasto de destruição deixado pelo fogo de terça-feira

Os incêndios que estão a atingir o concelho de Pombal já queimaram mais de 1600 hectares e estão a complicar-se, designadamente nas freguesias de Abiul e Redinha, informou hoje a autarquia, dando conta de “diversos reacendimentos, associados também às condições meteorológicas severas, com a agravante da insuficiência de meios”.

Por isso, a edilidade reforça o apelo às populações das aldeias atingidas para que “mantenham a calma e sejam vigilantes, evitando comportamentos de risco”.

“Todos devem cumprir escrupulosamente as orientações das autoridades de segurança e protecção civil que se encontram no local”, as quais têm como “principal prioridade a protecção das pessoas”, salienta uma nota de imprensa.

Num balanço provisório efectuado na manhã desta quarta-feira (13 de Julho), o Município de Pombal estima que “a área ardida seja superior a 1600 hectares, registando-se inúmeras habitações destruídas e várias localidades sem fornecimento de energia eléctrica”.

“Arderam muitas habitações, anexos, barracões, estaleiros e equipamentos diversos”, enumerou o presidente da autarquia.

“Não sabemos ao certo quantas, mas já arderam várias casas, incluindo uma ou duas de primeira habitação”, disse Pedro Pimpão, salientando que neste momento estão a providenciar o realojamento dessas pessoas que, por enquanto, “estão em Vila Cã, com o apoio do Centro Social”, onde pernoitaram seis pessoas.

No balanço provisório foram igualmente contabilizados cinco feridos civis, um dos quais com gravidade, e sete operacionais feridos, “devido essencialmente a golpes de calor e exaustão”, adiantou a edilidade, referindo que “alguns regressaram já ao teatro de operações”.

Recorde-se que “ontem foram evacuadas cerca de 50 pessoas, incluindo os idosos de um lar residencial na zona de Ramalhais”, os quais foram transportados para um “centro de apoio logístico montado na Escola Marquês de Pombal, com camas e refeições para dar algum conforto a essas pessoas”, frisou o autarca. Entretanto três dessas pessoas já regressaram às suas habitações.

“Desde ontem não voltámos a evacuar mais nenhuma povoação”, sublinhou Pedro Pimpão, recordando que o fogo, que lavrava em duas frentes, foi dominado durante a madrugada. No entanto, “hoje no rescaldo e vigilância houve vários reacendimentos”, levando ao reactivar do incêndio que avança neste momento em direcção a Ereiras.