Leonel Francisco integra lista candidata à Ordem dos Contabilistas Certificados

0
543

A Lista A, candidata à Ordem dos Contabilistas Certificados e liderada pela actual bastonária, conta com dois nomes do concelho de Pombal para a Assembleia Representativa do Círculo Eleitoral de Leiria. Leonel Francisco e Rita Marques, com escritórios em Vermoil e Guia, respectivamente, estiveram entre os mais de 100 participantes no jantar que decorreu no primeiro dia de Novembro, no restaurante Dom Baco, integrado na agenda de campanha daquela candidatura.
“O convite surgiu na sequência de um conjunto de formações que organizámos aqui em Pombal e às quais veio um formador, o Paulo Marques, e algumas colegas que já faziam parte da estrutura da Ordem dos Contabilistas Certificados”, explica Leonel Francisco, no decorrer do jantar. Acções que lançaram as “sementes” do desafio que haveria de lhe ser lançado pela candidatura liderada por Paula Franco, “porque entretanto perceberam do dinamismo que estava a acontecer em Pombal” e que se enquadrava na “política da bastonária”, ou seja, “descentralizar”.
Sobre os desafios que se colocam actualmente à profissão, o vermoilense destaca as “baixas avenças”, apontando-as como “um eterno problema, porque é uma profissão que é baseada numa ciência de muito estudo e que requer formação constante”. Para isso, “precisa de ter honorários dignos”. “As universidades estão cheias, mas os alunos não querem fazer isto. É preciso cativá-los”, para evitar “a falta de profissionais”, adverte Leonel Francisco, que diz que essa “falta de atractividade” já se nota, uma vez que “a profissão já é muito idosa”.
Além disso, “há a ideia de que os contabilistas são os que introduzem dados, embora saibamos que não é só isso”, o que se traduz numa “imagem muito redutora da profissão”, o que também “acaba por não aliciar quem quer entrar no mercado de trabalho”.
O contabilista certificado chama ainda a atenção para “a constante mutação fiscal” que diz ser “outro factor negativo para afastar as pessoas da profissão”, uma vez que obriga a “andar sempre em cima das coisas”.
No campo dos desafios, Leonel Francisco destaca ainda “a parte digital”, porque “o futuro da profissão vai passar por aí, embora ainda não se saiba muito bem como. Não é possível converter, de uma forma assim tão simples, a complexidade fiscal que existe”.

Rita Marques, Leonel Francisco, Paula Franco e Nuno Valente no momento da entrega de uma lembrança à recandidata ao cargo

Apesar destes obstáculos, foi uma “mensagem de esperança e de um futuro promissor” aquela que a Bastonária da 0rdem dos Contabilistas Certificados – e recandidata ao cargo – deixou aos apoiantes. À margem do jantar, Paula Franco disse ao Pombal Jornal que a recandidatura se deve à convicção de que “ainda há muitas coisas para conquistar”, mas que pretende, também, “dar continuidade ao excelente trabalho que foi feito nestes últimos quatro anos”.
“Tivemos muitas conquistas nestes quatro anos”, nomeadamente, “o justo impedimento, as férias fiscais” e “tudo aquilo que veio trazer muitos direitos para os contribuintes” como a “alteração ao artigo 32º do Regime Geral das Infracções Tributárias, o artigo 24º da Lei-Geral Tributária” que, segundo a candidata, “são vitórias muito importantes para os contabilistas certificados”.
No campo das prioridades, Paula Franco defende a necessidade de os profissionais terem “mais tempo para os clientes” mas, para isso, “têm de ter menos clientes e melhores avenças”. Por outro lado, é preciso “conseguir vencer os desafios das grandes obrigações que existem e, assim sendo, os contabilistas certificados têm de ter mais tempo”, reforça.
“Nós temos uma profissão de interesse público, que tem de garantir uma boa prestação de contas. Temos que ajudar e ser parceiros dos empresários, mas eles têm de reconhecer que precisam desse apoio para o desenvolvimento da sua actividade”.

*Notícia publicada na edição impressa de 11 de Novembro