Isoljanela muda de instalações para melhor servir os clientes

0
2507

A Isoljanela deu recentemente mais um importante passo no seu historial. A empresa de caixilharia de alumínio, estores e todo o tipo de automatismos tem novas instalações, em Almagreira, para dar resposta às exigências resultantes do crescente volume de trabalho ao longo dos anos e, ao mesmo tempo, oferecer melhores condições aos clientes.

André Miranda fundou a empresa em finais de 2002, inicialmente em nome individual

Primeiro em nome individual (Miranda Nogueira – Alumínios e Estores), em finais de 2002, e a partir de 2006 já como Isoljanela, a empresa de sistemas de alumínio fundada por André Miranda tinha sede, até agora, na Machada (Pelariga), mas as limitações de espaço ditaram a necessidade de investir numa nova infra-estrutura.

A solução foi encontrada em Almagreira, onde a Isoljanela adquiriu terreno para avançar com a obra. “As novas instalações vieram ajudar-nos a ultrapassar algumas lacunas”, explica André Miranda. “Precisávamos de espaço para valorizar o que fazemos”, salienta.

No novo edifício, a empresa de sistemas de alumínio dispõe de uma área de cerca de 1.000m2 destinada à produção, mas a melhoria das instalações permitiu, igualmente, criar um showroom que, como refere aquele responsável, “é a nossa imagem”.

A pensar nos clientes que ali se deslocam acompanhados dos filhos, foi criado um espaço de entretenimento para os mais pequenos, enquanto aguardam que as negociações decorram.

“Tentámos criar o máximo de condições para que os clientes se sintam bem”, refere o gerente, assumindo tratar-se do maior investimento feito, até à data, pela Isoljanela.

Apesar de a actual conjuntura sócio-económica ser pouco favorável, André Miranda mostra-se otimista. O empresário diz que ainda não sentiram os efeitos do actual contexto pandémico e que, já desde Agosto, a Isoljanela tem agenda preenchida até ao final do ano. Para 2021, as perspectivas mantêm-se positivas. “Ainda vai ser um ano bom”, acredita André Miranda,denotando que o sector da construção, em geral, atravessa uma fase positiva.

Uma empresa alicerçada na experiência

A ligação de André Miranda ao mundo da serralharia começou cedo. As férias do então jovem estudante eram passadas a trabalhar na área. Ao longo dos anos adquiriu experiência e conhecimentos suficientemente sólidos para que, na hora de definir o trajecto profissional, não tivesse dúvidas.

Desde a primeira hora, a empresa teve como foco o mercado nacional, mas em 2012, e ainda com o país a braços com a crise económica, André Miranda diz que sentiu necessidade de abrir horizontes e alargar o mercado de actuação para outros países da Europa, nomeadamente para França.

Apesar do portefólio de obras já realizadas no estrangeiro, André Miranda continua a privilegiar o território nacional, nomeadamente a zona Centro, que representa cerca de 80 por cento dos negócios, uma vez que permite uma “proximidade” maior ao cliente e um acom- panhamento diferente da obra. Aliás, esta postura tem contribuído, desde a primeira hora, para o cimentar de um serviço diferenciador e de qualidade superior de que a Isoljanela se orgulha. O resultado dessa estratégia é visível, segundo André Miranda, no facto de muitos dos clientes procurarem a empresa motivados pelas boas referências de outros clientes.

Apesar do peso significativo das empresas de construção civil na carteira de clientes, os clientes particulares continuam a destacar-se no conjunto, frisa o gerente da Isoljanela, o que abre portas a um serviço mais personalizado, procurando corresponder sempre às expectativas de cada cliente. “Cada cliente é um desafio. Não é mais um cliente, mas sim o cliente, porque não há obras nem clientes iguais”, sintetiza o empresário.

A par desta filosofia, o gerente destaca, ainda, a assistência pós-venda como um das marcas diferenciadoras da Isoljanela. “Muitas empresas não fazem isso”, nota André Miranda, salientando que, graças a essa forma de actuação, têm clientes que se mantêm fiéis desde o início.

Para oferecer as melhores soluções a quem os procura, a empresa de soluções de alumínio está atenta ao mercado e às novas tendências, marcando presença em feiras nacionais e internacionais para acompanhar o que de melhor e mais inovador se apresenta no sector.

 

Etiqueta energética Classe A+

A Isoljanela foi a primeira empresa do concelho de Pombal, na área do fabrico de janelas, certificada para “etiquetar uma janela com a Classe A+”, oferecendo a garantia ao cliente de que aquele produto tem um grau de eficiência energética superior. Com essa certificação, o cliente pode, depois, candidatar-se a incentivos disponibilizados pelo Governo, ao abrigo do Fundo de Eficiência Energética, explica André Miranda.

 

*Publireportagem publicada na edição impressa nº 194