Idosos do lar da Cumieira transferidos para a Residência de Estudantes

0
2223

Quatro idosos do lar da Associação Sócio-Cultural, Recreativa e Educativa de Cumieira e Circunvizinhas foram hoje transferidos para as instalações da Residência de Estudantes, da Câmara de Pombal. Tratam-se de utentes, dois dos quais acamados, que não estão contaminados com Covid-19.
A iniciativa pretendeu salvaguardar os cuidados de acolhimento daqueles seniores, dos restantes utentes da instituição, cujo teste de diagnóstico deu positivo. Por outro lado, a medida evitou que aqueles idosos fossem transferidos para outras instituições fora do concelho de Pombal.
O acolhimento e o acompanhamento estarão assegurados pela própria instituição, bem como o fornecimento das respectivas refeições.
Por sua vez, as instalações do lar, na Cumieira, estão a ser alvo de uma limpeza e higienização, por sectores, para permitir um melhor cuidado e acompanhamento aos utentes que ali residem e que, à partida, não necessitam de cuidados de saúde externos à instituição.
Ontem, ao final do dia, a Administração Regional de Saúde do Centro dava conta que dos 26 utentes da instituição, 22 tinham sido testados, tendo 18 dado resultado positivo. Assim como duas trabalhadoras, estando outras cinco em quarentena nas suas próprias residências. Faltavam testar dez, cujos testes terão sido realizados durante a manhã de hoje, mas desconhecendo-se os resultados.
Por sua vez, o boletim informativo da situação epidemiológica emitido hoje pela Autoridade de Saúde Pública de Pombal dava conta de 32 casos confirmados com Covid-19 na freguesia de Pombal, incluindo três mortes, que segundo se sabe se referem a utentes do lar da Cumieira.
Hoje a instituição fez publicar nas redes sociais um “apelo urgente” para angariar voluntários e máscaras FP2/FP3.
Os voluntários destinam-se a prestar “cuidados a idosos não infectados”, nomeadamente aos utentes das valências de Apoio Domiciliário e Centro de Dia que se encontram nas suas próprias habitações.
Ou seja, substituição de colaboradoras que se encontram em exaustão, bem como daquelas que se encontram em quarentena obrigatória, e que possam efectuar tarefas domésticas, como, por exemplo, lavar loiça, efectuar limpeza, fazer camas, arrumar roupas, entre outras.

Partilhar
Artigo anteriorO PERFUME DA SERPENTÁRIA | A analogia*
Próximo artigoO CONCELHO EM ANÁLISE | Tempos de incerteza
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.