HIC ET NUNC | Quem tem saúde e mobilidade, é rico e não sabe

0
74

Volvido quase metade do mandato da assembleia de freguesia da União de Freguesias de Santiago e S. Simão de Litém e Albergaria dos Doze, importa fazer o balanço do actual acesso dos nossos fregueses aos cuidados de saúde.
Presentemente, existem duas extensões do Centro de Saúde, a funcionar nos pólos de Santiago de Litém e de Albergaria dos Doze. Os utentes da outrora extensão de S. Simão de Litém são de momento atendidos no pólo de Santiago, tendo sido alocado um médico de família para o efeito (mas sem enfermeiro de família e administrativo associado).
Para cuidados de saúde mais diferenciados, os utentes podem ter que se dirigir a Pombal ou Leiria, ou mesmo Coimbra.
E se a rede de transportes públicos dentro dos limites da freguesia é escassa ou inexistente, não é muito melhor no que concerne às deslocações a estes centros urbanos.
Numa freguesia com uma população predominantemente envelhecida, importa pensar em alternativas que permitam aos nossos fregueses mais frágeis aceder aos cuidados de saúde de que necessitam, de forma cómoda, e que não implique um importante encargo financeiro.
O ideal seria criação de um serviço de transporte e acompanhamento do utente, organizado pela junta de freguesia para os cidadãos socialmente mais frágeis, que pudesse ser agendado, e que disponibilizasse vários níveis de acompanhamento: apenas transporte, incluindo utentes com mobilidade reduzida, e ainda transporte e acompanhamento aos cuidados de saúde, para doentes com algum grau de comprometimento cognitivo e sem suporte social ou familiar.

Marta Marto
Membro da Assembleia de Freguesia de UFSSSLAD, eleita pelo CDS-PP