Futebol em Meirinhas comandado por uma mulher

0
1178

A Associação Recreativa de Meirinhas tem como principal actividade o futebol mas nem isso impediu uma mulher de segurar as rédeas da colectividade. “Desde miúda tive sempre muito mais amigos do que amigas, não sinto qualquer tipo de diferença e penso que por eles também não tem havido qualquer tipo de constrangimentos. Sou mãe de dois filhos, já tenho três homens em casa”, afirma a presidente.

Nélia Ferreira tem 38 anos e é presidente da direcção da Associação Recreativa de Meirinhas (ARM) desde Julho de 2014. É gestora, casada e mãe de dois meninos com 3 e 5 anos. “Por isso é que fui para o futebol”, comenta.
Após a demissão da antiga direcção da ARM, Nélia Ferreira sentiu “que tinha uma dupla responsabilidade”, por integrar o executivo da Junta de Freguesia além da direcção da associação. “Acabávamos de ter um estádio implantado na nossa terra e acabarmos de todo com o desporto aqui não fazia sentido”, explica. Convidou uma série de amigos que se revelaram “disponíveis para ajudar no que pudessem”, excepto para o cargo de presidência, pelo que Nélia o assumiu. Deste tempo no comando, diz que “está a correr muito bem”.
Quanto a medidas tomadas, diz que “para já, vamos manter a equipa Sénior, com jogadores da casa, sendo que apenas três são de Vermoil, Barracão e Bidoeira. Os restantes são ex-atletas que estavam inactivos e que recuperámos”, conta. Além disso, a presidente tenciona avançar com a criação das categorias de Traquinas e Benjamins, para activar a escola de formação.
Mas nem só de futebol vive a ARM e uma das apostas será o teatro, dado o envolvimento de Nélia no projecto Prata da Casa, que iniciou em 2013 e que fez “uma actuação entre músicas e teatro na festa anual das Meirinhas. Neste ano repetimos nas festas de Agosto e queremos continuar, ingressados na ARM”, explica. “Queremos começar efectivamente com o grupo de teatro, porque as pessoas que estão comigo no projecto Prata da Casa acham que é um projecto aliciante, não só para nos divertirmos a nós próprios, como para podermos proporcionar outras coisas que não futebol”.
A actividade da ARM não ficará por aqui, já que as comemorações de várias datas fazem parte dos objectivos da nova direcção: “Estamos a pensar no magusto de S. Martinho, que é agora em Novembro, também já falámos numa passagem de ano low cost, na sede da associação, que terá um valor irrisório, só para as pessoas conviverem um bocadinho”.
Outra aposta será nos “passeios nocturnos de bicicleta, porque há um grupo de BTT que não está inserido em nenhuma associação. Como associação desportiva e cultural, estamos abertos a todas as ideias da população”, refere Nélia Ferreira.