Falta de recursos humanos no quartel do Oeste preocupa autarca

0
449

O presidente da União de Freguesias de Guia, Ilha e Mata Mourisca denunciou a falta de recursos humanos no Quartel da 5.ª Companhia do Oeste, o que deixa esta corporação numa “situação de falência” para responder aos pedidos de socorro e protecção das populações e do território. A Câmara Municipal de Pombal está disponível para colaborar na resolução do problema, assegurou o vice-presidente.
“O Quartel da 5.ª Companhia do Oeste é sem dúvida um dos equipamentos mais importantes da freguesia, porém, bem sabemos que não poderá ser um equipamento válido sem recursos humanos para o potenciar e dele retirar as devidas mais-valias que são a protecção das populações e do nosso território”, disse Gonçalo Ramos, pedindo a intervenção da autarquia para resolver aquela “preocupação” da zona Oeste.
O autarca, que falava na última reunião de Assembleia Municipal, realizada a 29 de Junho, recorda que “o voluntariado não é o que foi”, mas a “preocupação hoje recai sobre os assalariados”. “O concurso para abertura de uma segunda Equipa de Intervenção Permanente [EIP] para Pombal acabou por ditar a nulidade de dois concursos muito importantes do Oeste, que nos deixa numa situação de falência”, afectando “acima de tudo as respostas mais importantes, que são ao nível do socorro”.
“Esta situação nem seria muito grave se não fossemos, depois de Pombal, a zona do concelho com mais serviços de doenças súbitas”, adiantou Gonçalo Ramos, defendendo que é “imperativo” tomar medidas com vista ao “reforço de recursos com vínculo profissional” no Quartel da 5.ª Companhia do Oeste.
“Para isso acontecer, é preciso criar mais e melhores condições de trabalho, sobretudo no campo financeiro”, considera o presidente da União de Freguesias, pedindo à Câmara Municipal que “seja sensível a esta situação de forma a podermos dignificar convenientemente os excelentes equipamentos que temos na região Oeste”.
O vice-presidente da autarquia assegurou que “vamos procurar perceber as dificuldades que a Associação Humanitária está a atravessar” para “perceber de que forma é que o município poderá colaborar”. Pedro Murtinho sublinhou ainda que “a Câmara está sempre disponível para colaborar com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal”, lembrando que “já colabora com uma parte muito significativa de apoios para as EIP”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 15 de Julho