Exposicó 2019: Queijo, vinho, azeite e mel promovem a região

0
356

Durante três dias, de 17 a 19 de Maio, a Exposicó promove o queijo do Rabaçal num evento que acolhe também o Festival de Folclore da Serra de Sicó, a Mostra de Vinhos “Terras de Sicó”, a prova do Cabrito e Borrego de Sicó e a Mostra do Azeite e Mel Serra de Sicó.


A Feira do Queijo Rabaçal é realizada anualmente em regime de rotatividade entre todos os concelhos membros da associação Terras de Sicó (Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela, Pombal e Soure), sendo que este ano, a 31.º edição do evento que aclama um dos produtos endógenos mais queridos da região tem lugar no parque Verde do Nabão, em plena zona ribeirinha de Ansião, e celebra, também, 26 anos da sub-região de vinhos Terras de Sicó, o mel, o azeite e o pão são os ingredientes principais de uma festa que, todos os anos, percorre os territórios da Serra de Sicó. Outros produtos endógenos como o cabrito e o borrego, os frutos secos, os doces, compotas ou licores, os enchidos ou o artesanato são pontos fortes desta região, que se promovem durante o certame onde está prevista a presença de “cerca de meia centena de expositores”, revela António Domingues, presidente da Câmara Municipal de Ansião, e onde se “dá destaque ao que há de melhor em todos os concelhos abrangidos pela Terras de Sicó”.
O conceito do evento foi repensado e, por isso, alargado para mais um dia de actividades, passando a contar com um dia dedicado à discussão e apresentação de projectos para o território, com a realização das “Jornadas da Serra de Sicó: Uma directoria para o Maciço de Sicó”, agendadas para sexta-feira, 17 de Maio, a partir das 14h30, no auditório da Auditório da Câmara Municipal de Ansião, e onde “será feita a apresentação de projectos que a Terras de Sicó está a desenvolver no sentido de promover a região e o território”, explica o edil destacando a “criação da Rede de Aldeias do Calcário (Território XXI), um projecto de natureza turístico e cultural muito importante, e que procura aproveitar a especificidade da arquitectura das aldeias da Serra de Sicó, mas fundamentalmente, também tudo aquilo que são os valores material e imaterial associados à cultura da região”, ou a Qualificação do Cabrito e Borrego de Sicó, “uma parceria entre a Associação e a Escola Superior Agrária de Coimbra, que pretende certificar a carne de cabrito e de borrego, até porque há alguns municípios desta sub-região que têm puxado, e que têm feito muito pela valorização deste produto”, assume.
Durante a 3.ª edição das Jornadas da Serra de Sicó discutem-se ainda temas como “Sicó, a dimensão Cultural de uma paisagem protegida no âmbito regional”, o projecto Explore Sicó, numa apresentação feita pelo Município de Pombal, ou a criação de Cadeias Curtas e Mercados Locais.
A parte mais lúdica e cultural do evento arranca no dia seguinte, já no Parque Verde do Nabão, com a abertura do evento a fazer-se a partir das 15h00. “Alargar o evento para a tarde de sábado é convidar mais público a juntar-se a nós, a ficar mais tempo no recinto e a conhecer melhor os produtos, os produtores e os empresários da região”, porque afinal, este é um “espaço de promoção dos melhores produtos da nossa região”.
O certame conta ainda com diversos apontamentos musicais e culturais, com a realização de um ‘sunset’ ou a realização do encontro de filarmónicas, com a actuação da Sociedade Filarmónica Louriçalense, Pombal, e da Sociedade Filarmónica Ansianense Sta. Cecília, Ansião.
No domingo, 19 de Maio, a Sessão Solene de Abertura da XXXI Feira do Queijo Rabaçal e visita ao certame, está agendado para as 11h00, e a realização do XVIII Capítulo da Confraria do Queijo Rabaçal faz-se duas horas depois. A tarde fica por conta do XXXI Festival de Folclore da Serra de Sicó, onde actuam um grupo folclórico e etnográfico de cada um dos seis concelhos representados na Associação Terras de Sicó. O evento termina com mais uma novidade, o leilão de um Cabrito e Borrego de Sicó”.

Partilhar
Artigo anteriorTrês pombalenses nomeados para Portugueses de Valor
Próximo artigoOh da Praça: “Fez-se magia… e história!”
Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.